- Publicidade -

4 desembargadores do TRT-RJ são presos por corrupção

- Publicidade -

A Polícia Federal, na Operação Mais Valia, realizou a prisão de 4 desembargadores do Tribunal Regional do Trabalho do Rio (TRT-RJ) por corrupção. Se trata de um desdobramento da Operação Tris in Idem, responsável pelo afastamento do então governador Wilson Witzel.

- Publicidade -

Prisão de 4 desembargadores

De acordo com o MPE, os desembargadores recebiam pagamento de vantagens indevidas para beneficiar integrantes da empreitada criminosa que teria sido instalada no governo Witzel.

Conforme a denúncia, as vantagens indevidas eram pagas por empresas para que fossem incluídas no Plano Especial de Execução da Justiça do Trabalho do Rio, de modo a possibilitar que o governo estadual efetuasse o pagamento.

Foram citadas no inquérito as empresas Pró-Saúde, Átrio Service e MPE Engenharia, além de quatro consórcios de transporte: Transcarioca, Santa Cruz, Intersul e Internorte.

- Publicidade -

Além dos quatro desembargadores, foram cumpridos mais sete mandados de prisão. Foram presos:

  1. Antônio Carlos de Azevedo Rodrigues, desembargador
  2. Eduarda Pinto da Cruz, operadora
  3. Fernando Antônio Zorzenon da Silva, desembargador
  4. José da Fonseca Martins Junior, desembargador
  5. Leila Maria Gregory Cavalcante de Albuquerque, operadora
  6. Manoel Messias Peixinho
  7. Marcello Cavanellas Zorzenon da Silva, operador
  8. Marcos Pinto da Cruz, desembargador
  9. Pedro D’Alcântara Miranda Neto
  10. Sônia Regina Dias Martins, operadora
  11. Suzani Andrade Ferraro, operadora

- Publicidade -

Os mandados de prisão foram expedidos por ordem da ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Nancy Andrighi, mediante requerimento da Vice-Presidência da Procuradora-Geral da República (PGR).

Procurado, o TRT emitiu uma nota, ressaltando o “seu compromisso com a legalidade”, além de informar que está “à disposição das autoridades no que for necessário para auxiliar nas investigações que levem ao total esclarecimento dos fatos”.

*Esta notícia não reflete, necessariamente, o posicionamento do Canal Ciências Criminais

- Publicidade -

Leia mais:

Juíza considera atípica a conduta de portar droga para consumo pessoal e absolve o réu


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais