- Publicidade -

Advogados são condenados por forjar procurações

- Publicidade -

A justiça de São Paulo condenou advogados que utilizavam certidões de multa de trânsito para forjar procurações em ações judiciais. Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público, eles distribuíam processos sem o conhecimento e autorização das partes, com o objetivo de receber os valores das multas.

- Publicidade -

O esquema dos acusados foi descoberto durante a deflagração da operação “Temis”,  instituída pelo próprio Ministério Público de Ribeirão Preto no ano de 2018.

Segundo as investigações, os advogados aliciaram um funcionário da prefeitura que era responsável por emitir certidões de multa de trânsito e passou a receber ilicitamente R$ 1 real por certidão emitida, sem que fosse exigido dos advogados procuração para os devidos fins.

Com as certidões em mãos, os acusados distribuíam as ações judiciais ilicitamente com o objetivo de receber os valores das multas, bem como os honorários de sucumbência, em valores que poderiam chegar a R$ 900 mil.

- Publicidade -

Os advogados foram condenados pela 4ª vara Criminal de Ribeirão Preto/SP, no bojo do processo 0032142-33.2019.8.26.0506, e seguem sendo alvos de outras seis ações penais suspeitos de integrar uma organização criminosa, praticar estelionatos, falsidade ideológica, quebra de sigilo bancário, bem como crimes eleitorais em coautoria com um vereador e dois funcionários da câmara municipal de Ribeirão Preto.

Leia também

Júri condena mais quatro pessoas por morte do ex-marido de Flordelis


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais

Homem mata esposa por ter se negado a servir cerveja Prima de Daniella Perez encontra Paula Thomaz em shopping Raul Gazolla manda recado para marido de Paula Tomaz Bolsonaro e Michelle visitam igreja em que Guilherme de Pádua é pastor Esposa de Guilherme de Pádua comenta sobre série da HBO Max