- Publicidade -

Alexandre de Moraes manda prender em flagrante o deputado Daniel Silveira

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes mandou prender em flagrante do deputado Daniel Silveira. A decisão foi proferida na noite da última terça-feira (16), no âmbito do inquérito das fake news, e a Polícia Federal cumpriu o mandado de prisão logo em seguida.

- Publicidade -

Prisão em flagrante do deputado Daniel Silveira

Em suas redes sociais, o parlamentar compartilhou um vídeo em que faz apologia ao instrumento de repressão mais severo da ditadura militar, o AI-5, além de ter reiterado a defesa pelo fechamento do Supremo Tribunal Federal. Diante disso, o ministro apontou que o mandado deveria ser cumprido “imediatamente e independentemente de horário por tratar-se de prisão em flagrante delito”. 

Na decisão, Moraes destaca que Daniel Silveira é investigado pela Procuradoria-Geral da República pois está

associado com o intuito de modificar o regime vigente e o Estado de Direito, através de estruturas e financiamentos destinados à mobilização e incitação da população à subversão da ordem política e social, bem como criando animosidades entre as Forças Armadas e as instituições.

- Publicidade -

Continua dizendo que

A Constituição Federal não permite a propagação de ideias contrárias a ordem constitucional e ao Estado Democrático (CF, artigos 5o, XLIV; 34, III e IV), nem tampouco a realização de manifestações nas redes sociais visando o rompimento do Estado de Direito, com a extinção das cláusulas pétreas constitucionais – Separação de Poderes (CF, artigo 60, §4o), com a consequente, instalação do arbítrio.

Ainda, justificou o flagrante aduzindo que

Relembre-se que, considera-se em flagrante delito aquele que está cometendo a ação penal, ou ainda acabou de cometê-la. Na presente hipótese, verifica-se que o parlamentar Daniel Silveira, ao postar e permitir a divulgação do referido vídeo, que repiso, permanece disponível nas redes sociais, encontra-se em infração permanente e consequentemente em flagrante delito, o que permite a consumação de sua prisão em flagrante.

A prisão do deputado ainda precisa passar pelo crivo da Câmara e Moraes determinou que fosse imediatamente oficiado para as providências que entender cabíveis ao presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

- Publicidade -

Os ministros do Supremo também decidirão hoje (17), a partir das 14 horas, se referendam a decisão proferida monocraticamente por Alexandre de Moraes.

Leia mais:

STJ: gravidade do crime pode justificar manutenção de prisão cautelar


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

- Publicidade -

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais