Noticias

Alexandre de Moraes afasta Ibaneis Rocha do cargo de governador do Distrito Federal

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, foi afastado do cargo pelo prazo de 90 dias após manifestações que levaram à invasão e depredação do Congresso Nacional, Palácio do Planalto e Supremo Tribunal Federal. A decisão foi proferida no último domingo (8), pelo ministro Alexandre de Moraes.

Ibaneis
Ministro Alexandre de Morais afasta governador do GDF. Imagem: Diário do Poder

Ministro alega conivência de subordinados do governador Ibaneis Rocha

Ao proferir a decisão de afastamento do governador do Distrito Federal, o ministro Alexandre de Morais fundamentou que houve “omissão e conivência” de autoridades subordinadas ao chefe do executivo da Capital Federal.

Segundo o ministro, embora o ministro da justiça, Flávio Dino, tenha solicitado, a Polícia Militar de Brasília não fechou a Esplanada dos Ministérios e não conteve os manifestantes radicais.

O ministro defendeu ainda que houve “descaso e conivência” por parte do secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres, e que a sua omissão só não foi pior do que a do governador Ibaneis. Em trecho da decisão Alexandre de Moraes destaca:

“O descaso e conivência do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública e, até então, secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres – cuja responsabilidade está sendo apurada em petição em separado – com qualquer planejamento que garantisse a segurança e a ordem no Distrito Federal, tanto do patrimônio público – Congresso Nacional, Presidência da República e Supremo Tribunal Federal  – só não foi mais acintoso do que a conduta dolosamente omissiva do governador do DF, Ibaneis Rocha.”

 Além de afastar Ibaneis, Alexandre de Moraes determinou outras ações que refletem não só no Distrito Federal, mas em todo o Brasil. Confira a lista abaixo:

  • Desocupação total, em até 24 horas, dos acampamentos nos quartéis generais e unidades militares;
  • Desocupação de todas as vias públicas e prédios públicos estaduais e federais em todo o território nacional;
  • Apreensão e bloqueio de ônibus identificados pela Polícia Federal que trouxeram terroristas para o DF;
  • Proibição imediata, até 31 de janeiro, de ingresso de ônibus e caminhões com manifestantes no DF;
  • Que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTI) envie registros de veículos que ingressaram no DF entre 5 e 8 de janeiro;
  • A obtenção, pela PF, de todas as imagens das câmeras de segurança que possam auxiliar o reconhecimento dos terroristas;
  • O bloqueio de canais bolsonaristas no Facebook, Instagram, TikTok e Twitter.

Fonte: Conjur

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo