- Publicidade -

Após prisão de advogada, OAB publica nota de repúdio

A Ordem dos Advogados do Brasil 4° Subseção Dourados e Itaporã publicou uma nota de repúdio à prisão de advogada, efetuada por uma guarnição da Guarda Municipal. Conforme o documento, a prisão ocorreu na tarde do último domingo (07/03), quando, em desrespeito às prerrogativas da advocacia, os guardas conduziram coercitivamente a advogada Thalita Peixoto, presidente da Comissão da Mulher Advogada.

- Publicidade -

Prisão de advogada

Consta na nota que Thalita, no momento da prisão, estava atuando e representando os interesses de um cliente, autuado pela mesma guarnição da GM, quando teve seu celular de uso profissional apreendido forçosamente de suas mãos e colocada no camburão em direção à Delegacia, sem o acompanhamento do representante da OAB.

Diante do cenário, a Comissão de Defesa das Prerrogativas da 4ª Subseção da OAB/MS foi acionada por ligação do presidente Alexandre Mantovani que, imediatamente, ofereceu o devido suporte à advogada. Dirigiram-se os representantes da OAB à guarnição, indicando a violação das prerrogativas da defensora, principalmente diante do  Art. 7°, inciso IV da Lei 8.906/94.

Raíssa Moreira, vice-presidente da 4ª Subseção, se manifestou no sentido da ilegalidade da prisão e levantando a forma que as mulheres são desrespeitadas na sociedade:

- Publicidade -

Estou indignada pela forma com que a advogada foi presa, e fico me perguntando se fosse um homem advogado será que também agiriam da maneira que agiram? É inaceitável esse abuso de autoridade. Vamos apurar e ir até o fim nesse caso, porque foram muitos os desrespeitos que ela sofreu como advogada, principalmente como mulher. Lamentável esse ocorrido justamente nas vésperas do dia 8 de março.

Já Alexandre Mantovani, ressaltou a importância da defesa das prerrogativas dos advogados, característica que é a principal bandeira da OAB:

Ficamos entristecidos quando vemos cenas como essa, principalmente na véspera do Dia Internacional da Mulher, data que nos traz reflexão das lutas enfrentadas por elas. Isso é inaceitável, nos manteremos firmes na defesa das prerrogativas e somos solidários a todas as mulheres advogadas que sofrem esses tipos de abuso de autoridade.

A nota oficial foi assinada por: Alexandre Mantovani – Presidente  Raissa Moreira – Vice-Presidente  José Roberto Teixeira – Secretário Geral Luci Mara Tamisari Areco – Secretário Adjunto Nelson Eli Prado – Tesoureiro.

*Esta notícia não reflete, necessariamente, o posicionamento do Canal Ciências Criminais

- Publicidade -

Leia mais:

Entenda como identificar uma prisão ilegal e como agir diante disso


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais