• 22 de setembro de 2020

Os arrombadores e incendiários para o Criminal Profiling

 Os arrombadores e incendiários para o Criminal Profiling

Os arrombadores e incendiários para o Criminal Profiling

O Criminal Profiling vai comparar as informações coletadas e aprendidas com os elementos da cena do crime e para isso, alguns padrões comportamentais foram detectados a partir de análises, pesquisas e entrevistas. Entre os tipos de crimes analisados com mais informações adquiridas do comportamento dos criminosos estão as figuras dos arrombadores e dos incendiários do ponto de vista das teorias do FBI.

Esses tipos de criminosos possuem semelhanças entre si em relação às motivações que os levam a agir, mas acabam externalizando de formas diferentes.

Os arrombadores são os indivíduos que invadem locais por diversos motivos, mas que a intenção principal é a invasão, seja de local comercial, seja de domicílio alheio, por exemplo. Eles podem pegar itens, podem consumir itens no local e podem observar as pessoas dormindo, os motivos variam, mas as intenções costumam estar sempre ligadas à racionalidade e impulsividade.

Da mesma forma, os incendiários são aqueles que ateiam fogo em locais variados e muitas vezes ficam para observar o fogo tomar conta do local. Na maioria das vezes existe um fascínio com o fogo, pois a escolha específica desse tipo de agente não é comum e aleatória.

Tanto os arrombadores quanto os incendiários são analisados a partir de duas vertentes, a racionalidade e a impulsividade que no ambiente do Criminal Profiling são chamados de expressivos e instrumentais com suas variáveis de acordo com cada caso.

Ao analisar o local da cena de crime é imprescindível que seja observado se o local demonstra como o crime foi cometido, principalmente em relação à forma racional ou impulsiva, características semelhantes à visão de organizado e desorganizado também das teorias do FBI, mas com o foco nas suas motivações para determinar seus atos.

Lembrando também que são crimes cometidos em sua maioria, em série. Ou seja, tanto os arrombadores como os incendiários costumam agir repetidamente, o que facilita o estudo dos seus comportamentos. Aqueles que atuam somente uma vez possuem uma intenção focada em um ato específico e são menos comuns.

Existem alguns tipos de arrombadores específicos, mas o relevante para o entendimento inicial de como esse criminoso atua envolve principalmente a motivação.

Existem aqueles, por exemplo, que procuram o ganho material através do arrombamento e aqueles que procuram simplesmente adrenalina de estar na casa de alguém escondido. E dentre esses tipos, existem os níveis, dos mais perigosos para os menos perigosos de acordo com seus atos.

Vale ressaltar que no caso dos arrombadores é importante também analisar o nível de profissionalismo do arrombador, pois pode demonstrar o grau de racionalidade e impulsividade e até uma estimativa do tempo de atuação e quantidade aproximada de crimes cometidos.

Em relação aos incendiários as motivações semelhantes e também possuem níveis de periculosidade, mas sempre com a intenção dolosa de destruir um alvo.

Dois tipos de incendiários são exemplos claros de como as motivações variam, como aquele que ateia fogo em um local pelo bem material como obter o valor do seguro, por exemplo, e aquele que sente prazer ao ver o fogo tomando conta de um local, mas existem vários tipos ligados a intenções diferentes.

Tudo vai depender de como a cena do crime se encontra e das informações coletadas de testemunhas, câmeras, documentos, quando disponíveis, tudo o que for possível para facilitar a descoberta do criminoso e suas intenções.

Esses tipos de crimes podem parecer pequenos à primeira vista, mas assim como existem relatos de serial killers que muitas vezes matam ou torturam animais na infância, arrombadores e incendiários podem indicar uma predisposição para cometer crimes mais graves futuramente como roubos e estupros, e por isso merecem uma atenção maior, principalmente se começam a demonstrar evolução na forma e nos tipos de crimes.

Tudo vai depender da motivação, do nível de periculosidade e da evolução com o tempo, fatores importantes para se analisar também em suspeitos de crimes violentos ao procurar informações sobre crimes e comportamentos antecedentes.

Além disso, esses crimes costumam ser cometidos por crianças, adolescentes e jovens adultos no início da carreira criminosa, pois envolvem altos níveis de impulsividade e agressividade, alguns dos fatores utilizados para determinar o perfil criminal desses tipos de crimes.

As características são muitas, inclusive com classificações, mas inicialmente esses dados já demonstram o nível de comprometimento detalhamento do profiler no momento de sua atuação e ajudam a compreender como esses criminosos atuam.


REFERÊNCIAS

AINSWORTH, P. B. Offender Profiling and Crime Analysis. Willian Publishing, Portland, England, 2001.

RIDER, A. The firesetter: A psychological profile (part 1). FBI Law Enforcement Bulletin, 1980.

KONVALINA-SIMAS, T. Profiling Criminal: Introdução à Análise Comportamental no Contexto Investigativo. Letras e Conceitos Ltda. Portugal, 2012.

Verônyca Veras

Especialista em Criminal Profiling. Advogada.