ArtigosDireito Digital

A autenticação de dois fatores dos canais de comunicação

A autenticação de dois fatores dos canais de comunicação

Em oportunidade passada foi falado sobre a importância de se ter uma senha forte para manter a segurança dos dados online. A nossa rotina nos obriga a armazenar nossos arquivos nas redes sociais, e-mail, nuvem e outros mais.

Mas, infelizmente, podem ocorrer situações que fogem do nosso controle, como furto ou roubo dos nossos dispositivos, ou até mesmo esquecer ou perder as nossas senhas de acesso, sem contar que também podemos ser vítimas de algum invasor que busque acessar os nossos dados capturando a nossa senha.

Por isso, e pensando nisso, determinados aplicativos como Facebook, WhatsApp, Instagram e PayPal, por exemplo, oferecem um recurso chamado de autenticação de dois fatores.

Este recurso acrescenta uma camada adicional de segurança no procedimento de acesso mediante login e senha uma determinada conta. Essa autenticação não é algo que, em tese, não estamos acostumados. Quando vamos realizar o saque de valores de nossa conta bancária, além de inserirmos a senha de acesso, precisamos inserir um código via token, ou também, a biometria.

Veja: já utilizamos a autenticação de dois fatores diariamente e não sabíamos. Mas, nos canais de comunicação, isso ainda é facultativo, ou seja, cabe ao usuário ativar ou não, como o caso do FacebookAntes de explicar como ativar esse recurso, cabe, primeiramente, expor como se dá, qual a sua importância e o porquê do seu surgimento.

Pois bem, em linhas gerais, é enviado um código via SMS para que o titular conclua o login. Assim, posterior ao momento inicial do login e senha, é enviado, na sequência, um código numérico para o telefone celular cadastrado, para que assim se complete o acesso.

Pode não ser a forma 100% perfeita atualmente para garantir a segurança da conta. Contudo, reduz drasticamente o risco de que um hacker consiga visualizar os seus dados.

Portanto, por evitar que uma pessoa mal-intencionada acesse os seus dados, consequentemente eles estão seguros. Assim, a autenticação de dois fatores é (e se mantém) como o meio mais rápido e prático hoje em dia para garantir a proteção de tudo aquilo que o usuário insere no mundo virtual.

Em 2016, um relatório da Security4IT revelou que 1,64 milhão de novos softwares maliciosos (malwares) surgiram, e agora, em 2018, é certo que esse número já está extremamente elevado.

Existem muitos dispositivos conectados, mas com um baixo padrão de segurança sobre eles. Desde a falta de informação e conhecimento sobre o tema para muitos, até para aqueles que acreditam que não são um “alvo” para os criminosos virtuais.

Não cabe explicar aqui o caminho para a ativação de todos os aplicativos que possuem o “2FA”, mas vale demonstrar os mais utilizados, que são o WhatsApp, o Facebook e o Instagram.


WHATSAPP

Vá em: Conta; Verificação em duas etapas; ativar:

dois fatores 01


FACEBOOK

Vá no Menu; Configurações e Privacidade; Segurança e Login;

dois fatores 02

E depois Usar autenticação de dois fatores e ativar:

dois fatores 03


INSTAGRAM

Vá no símbolo da ferramenta ao lado de “editar perfil”; na aba “Conta” – autenticação de dois fatores; ativar:

dois fatores 04

Existe um árduo trabalho todos os dias para criar mecanismos de segurança que impeça o ataque dos cibercriminosos, e a autenticação de dois fatores é uma parcela desse trabalho. Por isso, a recomendação é: se as contas as quais você utiliza dispõe dessa função, então ative.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Fernanda Tasinaffo

Especialista em Direito Digital. Advogada.

ARTIGOS RELACIONADOS

Fechar