• 2 de julho de 2020

Guilherme M. Pires

Doutor em Direito Penal (UBA). Advogado.

Linguagem Criminal e a dupla aposta no universal

Linguagem Criminal e a dupla aposta no universal[1] “Mas essa demagogia deve ser hipócrita. Deve esconder seu singular rancor sob a máscara do universal.” – Michel Foucault. É preciso desativar as leituras universais que forjam embates melancólicos e repressivos (e nesse ensaio, destaco a linguagem-crime e suas supostas oposições). Importante anular não a linguagem e […]Leia Mais

Abolicionismos: percursos sem vanguarda e novas entradas legitimantes

Abolicionismos: percursos sem vanguarda e novas entradas legitimantes “(…) hoje aprendemos que o valor das lutas não depende das promessas que encerram, mas sim do seu próprio acontecer, das suas características substantivas e naquilo que permitem criar no presente. (…) A integração no sistema, assumindo algumas das suas práticas e adquirindo parcelas de poder, com […]Leia Mais

Linguagem repressiva e linhas de fuga libertárias

Linguagem repressiva e linhas de fuga libertárias A linguagem não é mesmo feita para que se acredite nela, mas para obedecer e fazer obedecer. (…) Isso pode ser percebido nos informes da polícia ou do governo, que pouco se preocupam com a verossimilhança ou com a veracidade, mas que definem muito bem o que deve […]Leia Mais

Abolicionismos e Cultura Libertária

Abolicionismos e Cultura Libertária O poeta é um rebelde sem premeditação, demolidor de tudo e de si próprio. De si próprio, creio eu, pois demole tudo o que emuralhou seu coração. (Warat) Em tempos de dicotomias rasas de front, que poupam críticas a elementos importantíssimos de nossas culturas repressivas, como Estado, capitalismo, poder punitivo, Escolas e […]Leia Mais

Um livro de percursos libertários: contextualização

Um livro de percursos libertários: contextualização Fazemos nosso caminho como o fogo suas centelhas. – René Char Após “Abolicionismos e Cultura Libertária” (dentre outros livros), no livro “Abolicionismos e Sociedades de Controle”[1] pretendi me aprofundar na análise dos processos de capturas e governos de resistências, abrangendo o assinalado como senso comum democrático no livro anterior […]Leia Mais

Nu-Sol e Abolicionismo Penal

Nu-Sol e Abolicionismo Penal O Nu-Sol é uma associação de pesquisadores libertários voltados para problematizar relações de poder e inventar liberdades – Nu-Sol No Brasil, a importância do Nu-Sol (Núcleo de Sociabilidade Libertária –PUC – São Paulo) nos abolicionismos e anarquismos segue pouco observada pelos interessados no abolicionismo penal; vale tecer algumas palavras sobre esse […]Leia Mais

Abolição da linguagem criminal e pensamento libertário

Abolição da linguagem criminal e pensamento libertário O presente escrito originalmente complementava em formato de notas o artigo “Contra a resposta universal da linguagem criminal”, mas em virtude do tamanho optei por lançar noutro escrito independente com outras notas; trata-se de algo que em grande medida pode ser conectado às minhas demais produções abolicionistas, sobretudo […]Leia Mais

Contra a resposta universal da linguagem criminal

Contra a resposta universal da linguagem criminal “Quando exercemos a crítica, isso não é algo deliberado e impessoal – é, no mínimo com muita frequência, uma prova de que em nós há energias vitais que estão crescendo e quebrando uma casca. Nós negamos e temos de negar, pois algo em nós está querendo viver e […]Leia Mais

Estado e prisões: multiplicidade em chamas

Estado e prisões: multiplicidade em chamas “Temos que ouvir o ronco surdo da batalha.” (Michel Foucault) Nas sociedades de controle, os participantes convocados para atuarem nas reformas e democratização dos fluxos, insistem em repaginar as monstruosas contradições que orbitam os arquétipos de Estado sem estancar radicalmente o sistema de justiça criminal e outros conjuntos, bloqueando […]Leia Mais