NoticiasDireito Penal

Babá é presa por aliciar criança para estupro e pornografia com namorado no Paraná

Um casal de 40 e 41 anos, babá e seu namorado, foi detido por autoridades policiais entre terça (28) e quarta-feira (1) na cidade de Imbituva, situada na região dos Campos Gerais do Paraná. A acusação contra eles é de terem praticado estupro de vulnerável e terem produzido e armazenado material pornográfico envolvendo crianças.

O caso é extremamente repugnante e chocante devido a detalhes que foram descobertos após a prisão do casal. A denúncia foi feita pelos pais de uma criança de 5 anos, que a deixavam sob os cuidados da babá em sua própria casa.

A babá, por sua vez, produzia imagens sexualizadas da menina nua e de seus órgãos genitais para enviar ao seu namorado. Além disso, seu namorado estuprou a criança com o conhecimento e consentimento da babá, como evidenciado por mensagens de WhatsApp obtidas pela Polícia Civil.

Em algumas das mensagens trocadas, o homem mencionou sentir falta da criança e a mulher sugeriu que o namorado tivesse relações sexuais com ela quando estivesse sozinha.

O casal também insinuou que a criança era esperta e já entendia essas conversas.

Em seu depoimento, babá tenta livrar-se da culpa e acusa exclusivamente o namorado

De acordo com Thiago Andrade, delegado encarregado do caso, a babá tentou se desculpar em seu depoimento e culpou exclusivamente o namorado, afirmando que ele teria estuprado a menina. A mulher também afirmou que a criança de 5 anos havia pedido para ser fotografada nua.

O delegado Andrade descreveu o caso que acompanhou como um dos piores já vistos e considerou a conduta imoral e libertina do casal em relação à criança como extremamente desprezível.

A babá e seu namorado foram presos no sistema carcerário do Paraná e as investigações da Polícia Civil continuarão a fim de descobrir se há outras crianças que foram vítimas desse casal.

Fonte: Forum

Daniele Kopp

Daniele Kopp é formada em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) e Pós-graduada em Direito e Processo Penal pela mesma Universidade. Seu interesse e gosto pelo Direito Criminal vem desde o ingresso no curso de Direito. Por essa razão se especializou na área, através da Pós-Graduação e pesquisas na área das condenações pela Corte Interamericana de Direitos Humanos ao Sistema Carcerário Brasileiro, frente aos Direitos Humanos dos condenados. Atua como servidora na Defensoria Pública do RS.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo