Noticias

Como funciona uma biografia não autorizada de um criminoso? Ele ganha pela obra?

Uma biografia não autorizada é aquela escrita sem a autorização do biografado, o que pode gerar conflitos jurídicos e éticos. Quando se trata de biografias de criminosos, a situação se torna ainda mais delicada. Afinal, o autor pode estar lucrar com a história de alguém que causou danos a outras pessoas.

Como funciona uma biografia não autorizada de um criminoso?

No Brasil, a publicação de biografias não autorizadas só foi permitida em 2015, após uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Antes disso, era necessário o consentimento do biografado ou de sua família para que a obra pudesse ser publicada.

No entanto, isso não significa que a publicação de biografias não autorizadas seja isenta de riscos. O biografado ou sua família ainda podem entrar com ações judiciais por difamação, calúnia ou outros crimes contra a honra. Por isso, é importante que o autor tenha cuidado ao escrever a obra e que tenha embasamento para tudo que for dito.

Ulisses Campbell

Um exemplo de autor que escreveu biografias não autorizadas de criminosos é Ulisses Campbell. Ele é conhecido pelos best-sellers Suzane, Assassina e Manipuladora; Elize Matsunaga, A Mulher que Esquartejou o Marido; e Flordelis, A Pastora do Diabo.

Campbell é formado em jornalismo e já trabalhou em veículos como a revista Veja e a Rede Globo. Em suas obras, ele sempre procura entender os motivos e as circunstâncias que levaram os criminosos a cometerem os delitos. No entanto, suas biografias também são alvo de críticas por serem sensacionalistas e por explorarem a violência de forma excessiva.

O criminoso ganha pela biografia não autorizada?

Quanto à questão financeira, é importante ressaltar que o biografado não recebe nenhum tipo de remuneração pela obra, já que não autorizou sua publicação. O autor, por sua vez, pode lucrar com a venda dos livros e com os direitos autorais.

Por fim, uma biografia não autorizada de um criminoso pode gerar controvérsias e conflitos jurídicos e éticos. O autor precisa ter MUITO cuidado para não cometer crimes contra a honra e deve ter embasamento para tudo que for dito na obra. Além disso, o biografado não recebe remuneração pela obra, e o autor pode lucrar com a venda dos livros e com os direitos autorais.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo