Noticias

Crime bate recorde! Brasil é o maior destino das falsificações de vinhos finos argentinos; entenda

Fraude em vinhos argentinos: mercado lucrativo no Brasil é o centro do problema

A indústria vinícola da Argentina, conhecida mundialmente pela produção de vinhos de alta qualidade, luta atualmente contra uma onda de falsificações. Dentre os mercados mais lucrativos para essas fraudes está o Brasil, que vem sofrendo um aumento significativo nesse tipo de crime, principalmente após a maior crise econômica vivida pelos hermanos.

A desvalorização do peso argentino colaborou para este triste cenário, pois mudou a percepção dos consumidores sobre o valor do vinho. Em outras palavras, muitos consumidores estão comprando “gato por lebre”, adquirindo produtos falsificados pensando que são autênticos. E isso afeta drasticamente o setor, que acumula prejuízos milionários.

vinho
Imagem: Folha PE

Leia mais:

Celular do ex-chefe da PRF, Silvinei Vasques, tinha fotos de Hitler, Mussolini, da família Bolsonaro e de armas

Acusação de racismo: relembre o caso envolvendo Luísa Sonza

Como isso afeta os produtores de vinho?

Produtores com renome, inclusive aqueles com uma tradição secular, estão se mobilizando para esclarecer os consumidores sobre essa problemática. A ajuda das grandes distribuidoras no Brasil tem sido fundamental para mitigar os prejuízos.

O aumento da falsificação e o mercado ilegal

A Associação Brasileira de Bebidas (Abrabe) destaca que a falsificação e o mercado ilegal estão crescendo. Em entrevista à uma publicação especializada, Cristiane Foja, presidente-executiva da Abrabe, menciona que “os vinhos finos são os mais visados pelos falsificadores e também são os que mais têm sofrido com o contrabando.”

O papel dos consumidores

A conscientização do consumidor é um passo fundamental na luta contra a falsificação. É importante verificar os padrões de qualidade do vinho, como a marca, a origem e os selos de autenticidade. A negligência nesses aspectos pode abrir portas para a fraude, incentivando os falsificadores.

De acordo com os dados da Receita Federal, 2023 pode ser um ano recordista na apreensão de vinhos falsificados. Apesar de todas as dificuldades, os produtores argentinos de vinho de alta qualidade continuam a luta para proteger a reputação e a qualidade dos seus produtos, que são consumidos em todo território nacional.

Fonte: Ze Dudu

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo