Noticias

Brasileiro do PCC é acusado de ser mandante de BRUTAL execução; veja

No dia 21 de setembro, Charles González Coronel, filho do traficante e produtor rural Gringo González, foi assassinado no centro de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na linha de fronteira com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul.

O suspeito de ter cometido o crime é brasileiro e teria ligação com o Primeiro Comando da Capital (PCC). O crimonoso está sendo procurado pela Polícia Nacional do Paraguai.

canalcienciascriminais.com.br brasileiro do pcc e acusado de ser mandante de brutal execucao veja image
Brasileiro do PCC é acusado de ser mandante de BRUTAL execução; veja 2

Leia mais:

Jovem de 23 anos filma a própria morte em Goiás e choca o Brasil

Família de deputado é investigada por lavagem de dinheiro, entenda o caso

O homicídio do filho de Gringo González está sob investigação do Departamento de Investigações de Amambay e do Departamento de Homicídios de Assunção.

Execução por parte de membro do PCC pode ter a ver com dívida

O mandado de prisão contra o brasileiro foi expedido pela promotora Katia Estela Uemura Cabañas. De acordo com as investigações, o assassinato pode estar ligado a uma dívida que pode chegar a US$ 300 mil dólares e também por envolvimento com uma mulher.

Segundo informações do ABC Color, a vítima teria tido uma conversa com o gerente de uma casa de câmbios. Charles teria retirado cerca de US$ 180 mil como empréstimo do local. Outras fontes disseram à polícia que o valor seria de até US$ 300 mil. Entretanto, o prazo para pagamento já havia expirado, mas a vítima ainda não havia devolvido o valor.

A polícia paraguaia apurou que o dinheiro emprestado a Charles, ao que tudo indica, pode ser do brasileiro faccionado do PCC, de 34 anos, que supostamente deixou seu dinheiro na casa de câmbio para que pudesse ser utilizado e gerar juros.

Membro do PCC foi capturado pela polícia em 2020

O brasileiro havia sido capturado pela Polícia em Pedro Juan Caballero no dia 28 de novembro de 2020, justamente na casa de Gringo González, onde portava um fuzil AK-47 e diversas outras armas.

Ele era suspeito de ordenar a morte de dois sobrinhos políticos e dois guarda-costas de um ex-chefe da fronteira, cujos corpos foram desenterrados de uma sepultura em 26 de novembro de 2020, em Pedro Juan Caballero, durante confronto entre o PCC e o clã Jamil.

Além de dívida, Charles teria se envolvido com mulher do brasileiro

Após deixar a casa de câmbio, Charles foi baleado com fuzil e pistola em Mariscal López, quase General Díaz, em Pedro Juan Caballero, a uma quadra da linha internacional que divide o Paraguai e o Brasil. Três pistoleiros cometeram os disparos.

Durante o ataque, o filho de Gringo González estava acompanhado por dois guardas, um paraguaio de 29 anos e um boliviano de 45. Eles também foram baleados, mas conseguiram entrar em território brasileiro.

O brasileiro não teria gostado de saber que seu dinheiro que estava na casa de câmbio havia sido emprestado a Charles González Coronel. Também teria descoberto um envolvimento de sua mulher com Charles, seu companheiro de cela. Os dois estavam presos no Grupo Especializado de Pedro Juan Caballero

Fonte: Midiamax

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo