Noticias

Hezbollah no Brasil: identidade do suspeito de recrutar brasileiros é revelada; saiba quem é ele

Descoberta da identidade do principal investigado

O programa Fantástico revelou a identidade do principal suspeito na operação que investiga o recrutamento de brasileiros pelo grupo extremista Hezbollah. 

A Polícia Federal conduziu uma operação na última quarta-feira (8) com o objetivo de impedir atos preparatórios para potenciais ataques terroristas no Brasil.

Leia Mais:

Caso Marielle Franco: Justiça aumenta a pena de Ronnie Lessa

Caso Marielle Franco: Justiça aumenta a pena de Ronnie Lessa

Mohamad Khir Abdulmajid: O alvo 

Mohamad Khir Abdulmajid, sírio naturalizado brasileiro, é procurado pela Interpol como o principal alvo da investigação sobre o recrutamento de brasileiros pelo grupo extremista. Ele chegou ao Brasil em 2008 e, em 2014, foi fichado pela primeira vez por vender bebida alcoólica a menores em Minas Gerais, quando foi preso em flagrante.

Atividades suspeitas em solo brasileiro

canalcienciascriminais.com.br hezbollah no brasil identidade do suspeito de recrutar brasileiros e revelada saiba quem e ele hezbollah2
Foto: Reprodução/ TV Globo

Mohamad, casado e com a esposa responsável por duas lojas de tabacaria em Belo Horizonte, é apontado pela PF como o verdadeiro proprietário dos negócios. Em 2021, iniciou-se uma investigação por contrabando, e conforme as apurações avançaram, surgiu a suspeita de que a venda de produtos ilegais tinha como objetivo financiar atividades terroristas.

Envolvimento com o Hezbollah

O Fantástico teve acesso à representação policial da operação Trapiche, na qual o delegado afirma que Mohamad seria no mínimo simpatizante, se não apoiador e integrante do grupo libanês Hezbollah. Fotos compartilhadas em redes sociais indicam que ele teria lutado na guerra civil síria em 2016 como membro da força do Hezbollah que apoiou o governo de Bashar Al-Assad.

Recrutamento de brasileiros e formação de rede de mercenários

Os investigadores buscam detalhes sobre brasileiros recrutados por Mohamad Abdulmajid para ingresso no grupo extremista. Até agora, a investigação sugere que esses recrutas não tinham vínculos ideológicos ou religiosos com o Hezbollah. A PF acredita ter interrompido a formação de uma rede de mercenários que prestariam serviços para o Hezbollah, conhecidos como “proxy.”

Novas prisões e andamento da operação

No Rio de Janeiro, a PF prendeu mais um suspeito de participar do esquema durante a noite. A identidade dele não foi divulgada. Desde terça-feira (7), a Polícia Federal vem cumprindo mandados de busca e apreensão. Até o momento, três pessoas estão detidas, e além de Mohamad, outro suspeito encontra-se foragido no exterior.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo