Noticias

Chocou o mundo! Britânica é condenada a pagar 200 mil libras a mulher escravizada por 16 anos

Mulher britânica recebe sentença por manter outra em condições de escravidão por 16 anos

Uma britânica de 59 anos recebeu uma sentença judicial esta semana por manter outra mulher, de 62 anos, em condições análogas à escravidão durante 16 anos. Este caso horroroso de exploração aconteceu no condado de West Sussex, na Inglaterra, em uma residência que abrigava uma realidade sombria. A mulher forçada a viver em um estado de servidão era impedida de ter qualquer acesso aos seus documentos e não mantinha nenhum tipo de contato com seus familiares.

A sentença determinada pelo Tribunal da Coroa incluiu uma multa de aproximadamente R$ 1,2 milhão, a ser paga à vítima. Esta decisão levou em consideração a capacidade financeira da ré, determinando que a indenização deveria ser paga no prazo de três meses. Em caso de não pagamento, a ré correria o risco de ter sua pena de prisão aumentada.

Britânica
Imagem: reprodução/ Sampi

LEIA MAIS:

Homem suspeito de praticar golpe da pirâmide com criptomoedas é preso e choca o Brasil

Crimes de feminicídios crescem no Brasil e SP registra recorde HISTÓRICO e preocupante

Afinal, do que se tratava o esquema da Britânica?

A sequência de crimes cometidos pela britânica é extensa e surpreendente. A sentença contemplou benefícios da seguridade social que foram desviados e salários não pagos durante o período de 16 anos em que a vítima habitou a casa da ré, segundo informações da polícia de Sussex.

De acordo com as investigações, a ré coagia a vítima a trabalhar em outras casas de sua propriedade, localizadas tanto no condado de Sussex quanto na cidade de Londres. A mulher sentenciada era responsável por gerenciar as finanças da vítima, manteve-a isolada de seus familiares e a forçava a realizar serviços domésticos, incluindo cozinhar, limpar e cuidar das crianças.

Como a exploração financeira era realizada?

Além do trabalho exaustivo que a vítima era submetida, a ré ainda se utilizou de mecanismos para explorar ainda mais financeiramente a mulher de 62 anos. A acusada abriu contas bancárias em nome da vítima, realizou saques, aplicou para benefícios sociais em nome da vítima e utilizou-se das contas bancárias para pagar despesas de suas propriedades, aponta o portal brasileiro UOL.

Um aspecto especialmente alarmante é que a ré registrou um veículo no nome da vítima, com o objetivo de obter benefícios fiscais e possibilidade de estacionar em vagas especiais. Durante uma verificação no local, a polícia encontrou os pertences da vítima armazenados em sacos de lixo e seus documentos de identificação, passaporte e cartões bancários escondidos em um compartimento fechado.

Britânica
Imagem: reprodução/Polícia de Sussex

Uma vítima de exploração contínua

A vítima, que vivia em condições extremamente precárias, estava privada de toda sua documentação e passou 16 anos sendo explorada financeiramente, psicologicamente e fisicamente pela acusada. Ela foi resgatada e agora começa um longo processo de recuperação. Conforme os documentos encontrados, a vítima possuía registros em endereços desconhecidos para ela, o que indica a extensão da exploração realizada pela acusada.

Este caso é um lembrete crucial de que a escravidão moderna existe e está mais perto do que imaginamos. É fundamental que as autoridades continuem a agir para impedir estes abusos e que façamos nossa parte para denunciar qualquer suspeita de exploração humana.

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo