Noticias

TRF-4 determina que Caixa indenize cliente vítima do “golpe do chupa-cabra”

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região determinou que a Caixa Econômica Federal restitua a um cliente o valor de R$ 13,3 mil, que foram sacados indevidamente de sua conta por meio do chamado “golpe do chupa-cabra”, que consiste em instalar um dispositivo nos caixas eletrônicos, que copia os dados de cartões magnéticos dos clientes.

Leia mais:

HBO Max esconde uma Obra-Prima do Suspense Policial do Século XXI que vai te prender por 157 minutos

O papel da mídia na cobertura de casos criminais: como a exposição afeta julgamentos e investigações?

caixa
Caixa Econômica terá que indenizar cliente vítima de golpe

Cliente da Caixa Econômica é vítima de ‘golpe do chupa-cabra’

De acordo com os autos processuais, o pai do cliente foi, a pedido do filho, até uma agência da CEF com o cartão da conta para retirar o extrato da poupança em um terminal de autoatendimento. Porém, ao inserir o cartão dentro da máquina, ele ficou retido. O pai então foi até o carro pedir a ajuda da família, e quando retornou para a agência, o cartão não estava mais lá.

Logo em seguida eles comunicaram a CEF e solicitaram o bloqueio do cartão, porém, apesar da empresa ter atendido à solicitação, ainda assim foram realizadas diversas operações, com valor total de R$ 23,2 mil.

Administrativamente a Caixa reconheceu o dever de ressarcir R$ 10 mil, referentes às operações efetuadas após a comunicação da fraude. O banco alegou, ainda, que o cliente mantinha anotação das senhas usados no golpe.

O caso foi parar no judiciário e o magistrado determinou que a Caixa ressarcisse todo o valor perdido pelo cliente sob a justificativa de que a CEF tem o dever de “inibir a ocorrência do evento em suas dependências, a fim de garantir a segurança das operações realizadas por seus clientes”

Apesar disso, foi negado o pedido de danos morais, de acordo com o juízo, não ficou demonstrado a ocorrência de fatos ensejadores de abalo considerável, superior ao mero aborrecimento.

Fonte: Migalhas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo