- Publicidade -

Cantor Nego do Borel é investigado por estupro de vulnerável

- Publicidade -

A Polícia Civil abriu um inquérito neste sábado (25), para investigar Nego do Borel por suspeita de estupro de vulnerável contra Dayane Mello. O cantor está sendo investigado depois de se deitar ao lado da modelo Dayane Mello que, a princípio, segundo se apurou pela imagens das câmeras do programa A Fazenda, estava completamente inconsciente.

- Publicidade -

A emissora Record TV decidiu encerrar a participação do cantor no reality, mesmo com a investigação em andamento. Em nota, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP-SP) esclarece que o registro foi acompanhado por imagens trazidas pelo advogado da modelo. No entanto, a SSP-SP tem afirmado que:

Outros detalhes serão preservados a fim de garantir a autonomia do trabalho policial.

Nego do Borel, por sua vez, relatou, por meio da sua assessoria, que a emissora tem criado dificuldades para trabalho deles e da polícia. No dia do ocorrido, por volta de 13h, a assessoria do cantor afirmou em nota à impressa que:

A polícia e a equipe jurídica estão na porta da sede de ‘A fazenda’ neste exato momento, tentando contato imediato para que o jurídico e as autoridades possam a dar andamento nos trâmites legais do caso. Infelizmente a produção está dificultando o contato e averiguação dos fatos. A polícia precisa entrar na sede para que sejam recolhidas as evidências do ocorrido, como roupas de cama, preservativo, vestimenta da vítima e do acusado, depoimentos, entre outros.

- Publicidade -

A defesa do cantor termina a nota com o seguinte pedido:

- Publicidade -

Deixamos claro que somos a favor de que a justiça seja feita e por pedimos para que evitem julgamentos sem provas ou baseados em pequenos recortes da internet.

Leia também

Polícia aguarda exame para confirmar morte de psicóloga por asfixia

Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

- Publicidade -

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

 

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais