NoticiasDireito Penal

Caso Daniel Alves: jogador muda versão novamente e diz que foi abusado por denunciante, afirma jornal

Após apresentar diversas versões controversas à polícia, o jogador de futebol Daniel Alves diz agora que sua denunciante abusou dele sexualmente, não o contrário. Daniel está preso e é investigado por estuprar uma jovem em uma boate de Barcelona no início do ano.

Segundo o jornal espanhol Ara, o jogador disse ter “escondido a verdade” para proteger a mulher. 

Daniel Alves já modificou seu depoimento sobre o acontecimento na Boate Sutton ao menos 3 vezes

De início, ele publicou um pronunciamento nas redes sociais confirmando que estava na casa noturna no dia do ocorrido, mas negou qualquer crime, afirmando não conhecer a mulher. Depois disso, quando as imagens de câmeras de segurança vieram à tona, afirmou que o que aconteceu no banheiro do estabelecimento teria sido consensual.

A imprensa de Barcelona, que acompanha o caso de perto, afirma que há fortes indícios contra o jogador, que também é acusado de agressão. 

A prisão foi decretada pela juíza espanhola Maria Concepción Canton Martín logo após o depoimento pelo risco do jogador fugir. Ele foi transferido por questões de segurança no final de janeiro.

Segundo a vítima, ela dançava na boate Sutton, em Barcelona, com amigos, no dia 30 de dezembro de 2022. Ela afirma que Daniel Alves a tocou por baixo de sua roupa íntima sem consentimento, e que o jogador a levou ao banheiro e a forçou a fazer sexo com ele.

A vítima ainda relatou aos amigos o que aconteceu e procurou a segurança do local, que seguiu os trâmites para casos de agressão sexual. A polícia foi até a boate, mas o jogador já tinha ido embora no momento da chegada das autoridades.

Recentemente, o jornal catalão publicou o novo depoimento dado por Daniel, no qual afirma que a mulher que o agrediu sexualmente:

“Segundo fontes consultadas, a voz de Daniel Alves tremeu um pouco e acabou por dizer: ‘A verdade é que queria proteger esta jovem’. Ele não queria acusá-la de uma agressão sexual em que ele se apresentava como vítima e ela como agressora. ‘Ela foi direto para mim. Eu não toquei naquela garota’, insistiu. Especificamente, o atleta brasileiro assegurou que quando estava sentado no banheiro a mulher entrou e praticou sexo oral nele, o que ele não consentiu, mas também não fez nada para impedir.”

Esta é a última versão da história apresentada por Daniel.

Fonte: O Dia

Daniele Kopp

Daniele Kopp é formada em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) e Pós-graduada em Direito e Processo Penal pela mesma Universidade. Seu interesse e gosto pelo Direito Criminal vem desde o ingresso no curso de Direito. Por essa razão se especializou na área, através da Pós-Graduação e pesquisas na área das condenações pela Corte Interamericana de Direitos Humanos ao Sistema Carcerário Brasileiro, frente aos Direitos Humanos dos condenados. Atua como servidora na Defensoria Pública do RS.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo