Noticias

Caso dos Irmãos Menéndez: entenda o que foi o assassinato que CHOCOU O MUNDO e irá virar série na Netflix

Irmãos Menendez se reencontram na prisão 30 anos após crime que chocou os EUA

No dia 9 de abril de 2018, mais de duas décadas após a morte brutal de seus pais, os irmãos Erik e Lyle Menendez se reencontraram na prisão. O caso dos irmãos Menendez causou comoção nos Estados Unidos nos anos 1990, e 30 anos após o crime, aos 47 e 50 anos, respectivamente, ambos cumprem pena de prisão perpétua na unidade prisional de San Diego, na Califórnia, pela morte dos milionários José e Kitty Menendez.

Foi em 1989, quando Erik e Lyle tinham apenas 18 e 21 anos, que executaram os pais à queima-roupa em sua mansão em Beverly Hills. Durante o julgamento, a promotoria defendeu que o crime ocorreu em função da herança, enquanto a defesa dos irmãos alegou que o assassinato foi uma retaliação pelos abusos sexuais sofridos por eles, cometidos pelo pai, com conivência da mãe. Entretanto, não foi possível comprovar a alegação de abuso sexual.

LEIA MAIS:

PF apreende celulares de Jair Bolsonaro e Michelle em operação autorizada pelo STF

Em prantos, Bolsonaro afirma que operação da PF em casa foi para “ESCULACHAR”

irmaos nenedez
Caso dos Irmãos Menéndez: entenda o que foi o assassinato que CHOCOU O MUNDO e irá virar série na Netflix 3

Por que os irmãos Menendez mataram os pais?

A acusação do caso afirmava que os irmãos Menendez haviam matado os pais por causa da herança. Eles utilizaram tiros de espingarda para cometer o crime, e o pai, executivo de Hollywood com 45 anos na época, foi alvejado seis vezes, enquanto a mãe sofreu dez tiros. A selvageria do caso foi destacada pelo então chefe da polícia de Los Angeles, Marvin Iannone, que afirmou nunca ter visto crime tão brutal em seus 33 anos de trabalho.

Como eles foram descobertos?

Inicialmente, os irmãos Menendez afirmaram à polícia que encontraram os pais assassinados após retornarem para casa do cinema. No entanto, a história começou a desmoronar quando a namorada do psicólogo de Erik Menendez denunciou que seu terapeuta estaria sendo ameaçado fisicamente por seu paciente. Surgiram, então, fitas das sessões de psicanálise, nas quais os irmãos discutiam o assassinato dos pais. Parte dessas fitas foi admitida como prova no caso.

Menendez
Imagem: NIT

Encontro emocionante na prisão

Depois de passarem anos separados e sem se encontrarem ou falarem ao telefone, os irmãos Menendez finalmente tiveram a chance de se reencontrar em 2018, quando Lyle teve sua periculosidade reduzida e foi transferido para a Unidade Corretiva RJ Donovan, em San Diego, onde Erik também estava detido. Ambos puderam interagir entre si e com outros detentos, e o jornalista Robert Rand, que acompanha o caso desde 1989, relata que ambos foram “imediatamente às lágrimas” ao se reencontrarem.

Em entrevistas concedidas à imprensa americana nos últimos anos, Lyle Menendez comentou sobre o laço muito forte que tinha com seu irmão e reiterou sua insatisfação com a mãe, que teria permitido os abusos sexuais. “Eu amo minha mãe, ainda choro por ela e não a perdoo”, declarou Lyle, ressaltando o impacto da suposta decisão da mãe de não denunciar os abusos. “Que tipo de mãe deixa isso acontecer?”

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo