Noticias

Caso Miguel Otávio: Sari é condenada a mais de oito anos

Sari Corte Real, ex-primeira-dama da cidade de Tamandaré (PE), foi condenada pela 1ª Vara dos Crimes contra a Criança e Adolescente de Recife a uma pena de oito anos e seis meses de reclusão em regime fechado, pelo crime de abandono de incapaz, que resultou na morte do menino Miguel Otávio, filho da funcionária de Sari, que morreu ao cair do 9º andar de um prédio.

O caso aconteceu em junho de 2020, quando a funcionária da ex-primeira dama e mãe da criança, Mirtes Santana, deixou o filho com Sari enquanto saia para passear com o cachorro da patroa. No entanto, câmeras de segurança flagraram que a mulher deixou João Miguel subir de elevador sozinho e ainda apertou o botão do último andar, onde havia uma cobertura, e de onde Miguel Otávio caiu.

Em 1º de julho de 2020 a ex-primeira dama foi indiciada pela polícia que investigava o fato e, em 14 de julho do mesmo ano, o Ministério Público de Pernambuco a denunciou pelo crime. No dia 31 de maio de 2022, dois dias antes do aniversário da criança, ela foi condenada pela justiça pernambucana.

Sari poderá recorrer da decisão em liberdade, pois segundo a sentença, “não há pedido algum a lhe autorizar a prisão preventiva. A sua presunção de inocência segue até trânsito em julgado”.

Leia também

STJ: “estigma da condenação” não pode ser alegado em HC


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo