ArtigosColunas EspeciaisCrimes que Chocaram o Mundo

Columbine: o massacre que apresentou o Bullying ao mundo

columbine

Tudo parecia bem na manhã de 20 de abril de 1999, até que dois jovens da pequena cidade de Columbine no estado americano do Colorado resolveram apresentar o trágico preço do Bullying ao mundo.

Quando exercitamos um pensamento especulativo em relação a massacres ou atentados, as lentes da moralidade são as primeiras que facilmente assentam-se diante dos nossos olhos, de maneira que naturalizamos o um certo julgamento de que o vilão é sempre o vilão, e a vítima é sempre a vítima, tal como se a realidade fosse redigida por um estranho autor de folhetim vespertino.

Na esfera da vida privada, a vilania pode se apresentar dentro de uma família na violência praticada pelos pais contra os filhos, pelos maridos contra suas esposas, e mesmo pelos filhos contra pais que se encontrem na fase idosa da vida.

Dentro dos muros de uma escola, a vilania se apresenta nos abusos cometidos por um professor contra um aluno, ou as inúmeras formas de violência física, psicológica, e verbal praticadas pelos alunos em relação àqueles que não se inserem nos padrões estabelecidos como “normais”.

Desde aquela manhã de 20 de abril de 1999, o mundo passou a conhecer esta forma de vilania como Bullying, e seu resultado como massacre que até hoje choca a todos.

DE “PERDEDORES” A VILÕES ASSASSINOS

Eric Harris nasceu na cidade de Wichita, localizada no Condado de Sedgwick, no estado americano do Kansas. O pai de Eric, Wayne Harris, era um piloto de transporte da Força Aérea dos Estados Unidos, o que fazia com que sua família se mudava frequentemente, enquanto sua mãe, Katherine Ann Poole, era dona de casa.

A família Harris morou em casas alugadas nos três primeiros anos em que moraram na área de Littleton, também no estado do Colorado, e foi nesta época que Eric conheceu Dylan Klebold.

Em 1996, a família de Eric comprou uma casa ao sul da Columbine High School. O irmão mais velho de Eric, Kevin, frequentou a faculdade na University of Colorado Boulder.

Dylan Klebold, cujo nome foi inspirado no nome do famoso dramaturgo Dylan Thomas, nasceu em Lakewood cidade localizada no Condado de Jefferson no estado americano do Colorado.

columbine shooters

Os autores do massacre: Eric Harris e Dylan Klebold

Era filho de Thomas Klebold e Susan Klebold, um casal de pacifistas e frequentavam uma igreja Luterana com seus filhos Dylan e seu irmão mais velho Byron, cujo nome também homenageia um famoso poeta, que frequentavam aulas de catecismo da tradição Luterana, não obstante  a família Klebold observar alguns rituais em consonância com a herança Judaica do avô materno de Dylan.

Dylan estudou na Normandy Elementary, em Lakewood, Colorado, nos dois primeiros anos do ensino fundamental, antes de ir para a Governor’s Ranch Elementary e se tornar parte do programa CHIPS (“Challenging High Intellectual Potential Students”). Quando se mudou para a Ken Caryl Middle School, ele teve dificuldades para se adaptar.

COLUMBINE HIGH SCHOOL

Nos tempos em que estudaram na Columbine High School, Eric e Dylan costumavam participar de produções de teatro da escola,  assim como operaram produções de vídeo.

Mal podiam imaginar os colegas de Eric e Dylan, que num futuro nada distante estes mesmos vídeos seriam umas das únicas migalhas de pistas que teríamos para tentarmos compreender melhor o que se passava na cabeça dos dois jovens de Columbine.

Columbine school

Columbine High School no dia dos tiroteios

Alguns relatos anteriores ao massacre de Columbine indicam que Eric e Dylan eram alunos muito impopulares e alvos de bullying. Fato inequívoco é que o massacre de Columbine foi responsável por apresentar ao mundo este termo, o Bullying.

No que tange ao caso de Eric e Dylan mesmo que as fontes desses relatos afirmem que a dupla sofria bullying, os relatos sobre eles serem solitários e rejeitados foram documentados como falsos.

O OUTRO LADO DA DOR

Relatos iniciais apontavam Eric e Dylan  como membros de um grupo que se chamava “The Trenchcoat Mafia”, embora, de fato, não tivessem nenhuma conexão particular com o grupo, e não apareceram em nenhuma foto de grupo da The Trenchcoat Mafia no anuário da Columbine High School em 1998.

Tal informação ganhou maior importância quando o pai de Eric declarou que seu filho era “membro do que chamam de Trenchcoat Mafia” em uma ligação para o 911 feira por ele  em 20 de abril de 1999. Três dias antes do massacre de Columbine, Dylan foi ao baile de formatura do ensino médio com uma colega chamada Robyn Anderson.

Eric e Dylan jogavam muitos jogos de computador na Internet. Eric criou um conjunto de mapas para o jogo Doom, os quais, mais tarde, ficaram conhecidos como “Harris levels”.

Columbine eric dylan

Eric e Dylan eram alunos muito impopulares e alvos de bullying

Eric tinha presença na internet sob o nome de usuário “REB” (abreviação de Rebel, que lembra o apelido dos times esportivos de Columbine) e outros nomes de usuário cibernéticos, incluindo “Rebldomakr”, “Rebdoomer” e “Rebdomine”, enquanto Dylan se passava pelos nomes “VoDKa” e “VoDkA”.

Eric tinha vários sites que hospedavam arquivos dos jogos Doom e Quake, assim como informações de equipe para as pessoas com quem ele jogava online. Os sites relatavam abertamente o ódio que ele tinha das pessoas de seu bairro e do mundo em geral.

OS MASSACRES: FURIA INDOMITA, OU COVARDIA ORIENTADA?

Na manhã de terça-feira, 20 de abril de 1999, Eric Harris e Dylan Klebold colocaram uma pequena bomba em um campo, há cerca de três milhas ao sul da Columbine High School, e há duas milhas ao sul da estação de corpo de bombeiros.

A bomba programada para explodir às 11:14 daquela manhã, e tinha o intuito de distrair o corpo de bombeiros e manter o pessoal responsável pela emergência longe da escola.

Ocorre que a bomba não explodiu como os jovens imaginaram, causando apenas um pequeno incêndio que foi rapidamente apagado pelo corpo de bombeiros.

O relógio marcava 11h10min da manhã quando Eric e Dylan chegaram na Columbine High School. Eles chegaram separadamente, uma vez que Eric estacionou seu veículo no estacionamento para alunos júnior, na entrada sul, enquanto Dylan estacionou no estacionamento para alunos seniores, na entrada oeste.

A lanchonete da escola, o alvo principal de bombas da dupla, estava situada entre os dois estacionamentos.

Após estacionarem seus carros — cada um contendo bombas escondidas, programadas para explodir às 12:00 — a dupla se encontrou próximo ao carro de Eric e armou duas bombas de propano de 20 libras (9kg) antes de entrarem na lanchonete, poucos minutos antes do início do turno do lanche “A”.

Os dois colocaram mochilas contendo as bombas—programadas para explodir aproximadamente às 11:17— dentro da lanchonete, antes de voltarem separadamente aos seus veículos para esperar a explosão e atirar nos sobreviventes que tentassem fugir do edifício.

Caso essas bombas tivessem explodido com força máxima, Eric e Dylan poderiam ter matado ou ferido gravemente todos os 488 estudantes que estavam na lanchonete, e, possivelmente, poderiam ter derrubado o teto, deixando cair parte da biblioteca na lanchonete.

O Vice-Xerife de Jefferson County, Neil Gardner, foi designado para ser o policial responsável pela vigia da escola em tempo integral. Neil costumava lanchar com os alunos na lanchonete, mas neste dia, ele optou por comer seu lanche em seu carro de patrulha, no noroeste da escola, onde monitorava alguns alunos no Smokers’ Pit, no Clement Park.

Os funcionários de segurança da Columbine High School não viram as bombas serem colocadas na lanchonete, pois um guarda estava substituindo a fita de vídeo de segurança da escola quando isto aconteceu.

As mochilas que continham as bombas estavam visíveis na nova fita de segurança, mas não foram identificadas como itens suspeitos. Nenhuma testemunha se lembrou de ver as mochilas sendo colocadas no meio das 400 outras mochilas dos alunos que já estavam na lanchonete.

11:19: O INÍCIO DO TIROTEIO

Quando a explosão das bombas da lanchonete falhou, Eric e Dylan se encontraram e foram em direção à escola. Armados, os dois subiram as escadas do lado de fora da entrada oeste, e pararam no mesmo nível dos campos de esporte à oeste do edifício e da biblioteca dentro da entrada oeste, diretamente acima da cafeteria.

Deste ponto de vista, a entrada oeste da lanchonete estava localizada no fundo da escadaria da escola, ao lado do estacionamento dos alunos seniores.

Às 11:19, a estudante de 17 anos, Rachel Scott, estava lanchando com seu amigo, Richard Castaldo, enquanto estavam sentados na grama ao lado da entrada oeste da escola. Richard Castaldo viu um dos garotos jogar uma bomba caseira, que mal explodiu, o que fez com que ele não a levasse a sério.

columbine run

Estudantes fugindo em desespero

Neste momento, uma testemunha ouviu Eric Harris gritar: “Vai! Vai!”. Os dois atiradores tiraram suas armas de seus casacos e começaram a disparar contra Richard Castaldo e Rachel Scott. Rachel foi baleada quatro vezes e morreu instantaneamente.

Richard Castaldo levou oito tiros, no peito, no braço, e no abdômen, paralisando-o do peito para baixo e caindo inconsciente. Não se sabe quem atirou primeiro; entretanto, foi Eric quem deu os disparos responsáveis por matar Rachel; Richard disse que Rachel foi atingida antes dele.

Após atirarem contra as duas primeiras vítimas, Eric retirou seu casaco e apontou sua carabina de 9 mm para a escada oeste, em direção a três alunos: Daniel Rohrbough e Sean Graves, de 15 anos, e Lance Kirklin, de 16 anos. Os três amigos estavam subindo as escadas, quando se depararam com os dois atiradores.

Posteriormente, Lance Kirklin relatou ter visto Dylan Klebold e Eric Harris no topo da escada, antes da dupla começar a atirar. Todos os três jovens foram baleados e feridos. Dentro da escola, alguns dos alunos acreditavam que estavam testemunhando algum tipo de brincadeira de alunos seniores feita por Eric e Dylan.

Mas, na lanchonete, Dave Sanders, um professor de informática e negócios, assim como treinador do time da escola, rapidamente percebeu que não era uma brincadeira, mas sim, um ataque contra a escola.

Eric e Dylan voltaram e começaram a atirar em direção a cinco alunos sentados na grama ao lado da escada e em frente à entrada oeste da escola.

Michael Johnson, de 15 anos, foi baleado no rosto, na perna e no braço, mas correu e conseguiu escapar; Mark Taylor, de 16 anos, foi baleado no peito, nos braços e na perna, caindo no chão, onde fingiu estar morto. Os outros três escaparam ilesos.

Eles atiraram em direção aos alunos que estavam perto de um campo de futebol, mas não atingiram ninguém. Eles caminharam até a entrada oeste, jogando bombas caseiras, das quais poucas explodiram.

Enquanto isso, dentro da escola, Patti Nielson, uma professora de artes, percebeu o movimento e foi em direção à entrada oeste com o aluno Brian Anderson, de 17 anos. Ela tinha a intenção de sair para pedir para Eric e Dylan “pararem com isso”, pensando que eles estavam gravando um vídeo ou fazendo uma brincadeira de aluno.

Quando Brian Anderson abriu o primeiro conjunto das portas da escola, Eric e Dylan atiraram nas janelas, ferindo-o com pedaços de vidro, e atingindo Patti Nielson no ombro com estilhaços.

Patti se levantou e correu pelo corredor até a biblioteca, alertando os alunos que estavam no local sobre o perigo, e dizendo para se esconderem debaixo das mesas e ficarem em silêncio.

Ela ligou para a polícia e se escondeu debaixo do balcão administrativo da biblioteca. Brian Anderson ficou para trás, preso entre as portas exteriores e interiores da escola.

FERIDOS E MORTOS NO INÍCIO DO INCIDENTE

  1. Rachel Scott, 17 anos. Morta com tiros na cabeça, tronco e perna ao lado da entrada oeste da escola.
  2. Richard Castaldo, 17 anos. Baleado no braço, peito, costas e abdômen ao lado da entrada oeste da escola.
  3. Daniel Rohrbough, 15 anos. Fatalmente ferido por tiros no abdômen e perna na escada oeste. Posteriormente, baleado na parte superior do peito na mesma escada.
  4. Sean Graves, 15 anos. Baleado nas costas, no pé e no abdômen na escada oeste.
  5. Lance Kirklin, 16 anos. Ferido em estado crítico por tiros na perna, pescoço e mandíbula na escada oeste.
  6. Michael Johnson, 15 anos. Baleado no rosto, braço e perna na escada oeste.
  7. Mark Taylor, 16 anos. Baleado no peito, braços e perna na escada oeste.
  8. Anne-Marie Hochhalter, 17 anos. Baleada no peito, braço, abdômen, costas, e perna esquerda perto da entrada da lanchonete.
  9. Brian Anderson, 17 anos. Ferido perto da entrada oeste por estilhaços de vidro.
  10. Patti Nielson, 35 anos. Ferida no ombro por estilhaços de vidro perto da entrada oeste.
  11. Stephanie Munson, 17 anos. Baleada no tornozelo dentro do corredor norte.
  12. William David Sanders, 47 anos. Morto por perda de sangue após ser baleado no pescoço e nas costas dentro do corredor sul.

11:22: A REAÇÃO DA POLÍCIA

O relógio marcava 11h22min da manhã quando o zelador da escola chamou o Vice-Xerife Neil Gardner, o Oficial de Segurança designado para Columbine, pelo rádio da escola, solicitando assistência no estacionamento dos alunos seniores. Só às 11h24min, Neil ouviu o chamado vindo do rádio da escola, do qual dizia:

Neil, há um atirador na escola.

Eric, na entrada oeste, imediatamente sacou seu rifle e atirou contra Neil Gardner, que estava há 60 metros de distância. Neil atirou de volta, utilizando sua pistola de serviço. Porém, ele não estava usando seus óculos e não conseguiu acertar os atiradores.

Cinco minutos depois dos disparos começarem, e dois minutos após o primeiro chamado do rádio, Neil trocava tiros com um dos atiradores. Já havia dois mortos e dez feridos.

Eric disparou dez tiros, e Neil disparou quatro, antes de Eric voltar para o edifício. Ninguém foi atingido. Neil informou em seu rádio de patrulha: “Há tiros no prédio. Preciso de alguém comigo no estacionamento sul.”

O Vice Paul Smoker, um motoqueiro de patrulha do escritório do Xerife de Jefferson County, estava resolvendo um problema de multa de trânsito ao norte da escola quando um chamado sobre uma “mulher caída” chegou às 11:23, provavelmente referindo-se à Rachel Scott, que já estava morta.

Indo pelo caminho mais curto, Paul Smoker passou com sua moto pelo gramado entre os campos de futebol, e se dirigiu até a entrada oeste. Quando viu o Vice Scott Taborsky seguindo-o em um carro de patrulha, Paul abandonou sua moto devido a maior segurança proporcionada pelo carro.

Columbine aerial view

Visão aérea da Columbine High School durante o massacre

Os dois Vice-Xerifes começaram a resgatar dois alunos feridos que estavam perto do campo de futebol, quando outro tiroteio começou às 11h26min, entre Eric, que estava novamente na entrada oeste, e Neil Gardner, que ainda se encontrava no estacionamento.

Dentro da escola, o professor Dave Sanders conseguiu tirar com sucesso os alunos que estavam na lanchonete; onde alguns deles subiram as escadas que dão acesso ao segundo andar da escola.

Eric atingiu Dave duas vezes no peito,  no momento em que este e outro aluno estavam no final de um corredor abaixo do corredor em que Eric e Dylan estavam, mas não conseguiu acertar o aluno.

Dave Sanders rastejou até o laboratório, e outro professor o levou para uma sala de aula onde haviam 30 alunos que colocaram um aviso na janela que dizia: “1 bleeding to death” (“1 pessoa sangrando até a morte”, em português), com o objetivo de alertar a polícia e a ambulância sobre a localização de Dave.

Devido ao seu conhecimento de primeiros socorros, o aluno Aaron Hancey foi levado pelos professores até a sala de aula onde Dave Sanders estava, apesar da agitação que se desdobrava pela escola.

Com a ajuda de um colega, Kevin Starkey, e da professora Teresa Miller, Aaron Hancey administrou primeiros socorros em Dave Sanders por três horas, tentando conter a perda de sangue com as camisetas dos alunos presentes na sala.

Usando um telefone, Teresa Miller e vários outros alunos mantinham contato com a polícia fora da escola. Assim, com sorte,  todos os alunos nesta sala foram evacuados com segurança.

11:29 – 11:36: O MASSACRE NA BIBLIOTECA

Às 11h29min, Eric e Dylan entraram na biblioteca, onde um total de 52 alunos, dois professores, e dois bibliotecários se escondiam. Nesse momento Eric gritou: “Levantem-se!”, em um tom de voz tão alto, que pôde ser ouvido na ligação de Patti Nielson para o 911, às 11h29min. Como ninguém se levantou, Eric disse:

Ótimo, vou começar a atirar mesmo assim!

Ele atirou com sua espingarda duas vezes em uma mesa, sem saber que um aluno chamado Evan Todd estava escondido debaixo dela. Evan Todd foi atingido pelos estilhaços de madeira da mesa, mas não ficou seriamente ferido.

Quando Dylan atirou contra os três, Eric pegou sua espingarda, e caminhou em direção à fileira inferior das mesas de computadores, ele atingiu Steven Curnow, de 14 anos, com um tiro no pescoço, que o levou à morte.

Então, Eric atirou contra as mesas de computadores ao lado, ferindo Kacey Ruegsegger, de 17 anos, com um tiro que atravessou completamente seu ombro direito e sua mão, também atingindo-a de raspão no pescoço e perfurando uma artéria principal. Quando ela começou a respirar com dificuldade por causa da dor, Eric disse:

Pare de reclamar.

Não houve mais feridos após às 11hrs35min. Eles mataram 10 pessoas na biblioteca, e feriram outras 12. Dos 56 reféns da biblioteca, 34 ficaram ilesos. Mais tarde, investigadores descobriram que os atiradores tinham munição suficiente para matar todos que estavam no local.

Columbine library

A biblioteca da Columbine High School após os tiroteios

Neste ponto, várias testemunhas disseram que ouviram Eric e Dylan comentarem que não conseguiam mais sentir a adrenalina ao atirarem em suas vítimas. Dylan foi apontado por dizer:

Talvez nós devêssemos começar a esfaquear as pessoas, isso seria mais divertido. (Os dois estavam equipados com facas). 

Então, eles se afastaram da mesa e caminharam até o balcão administrativo da biblioteca. Eric e Dylan zombaram de Evan, que estava usando um boné branco de atleta. Quando os atiradores mandaram ele mostrar seu rosto, Evan levantou parcialmente seu boné para que seu rosto continuasse irreconhecível.

Quando Dylan pediu para Evan lhe dar um motivo para não matá-lo, Evan disse:

Eu não quero problemas. 

Dylan disse:

Você [Evan] costumava me chamar de boiola. Quem é boiola agora?!. 

Os atiradores continuaram provocando Evan, e debateram se o matavam ou não, mas decidiram o deixar e se afastaram.

OS FERIDOS E MORTOS NA BIBLIOTECA

  1. Evan Todd, 15 anos. Sofreu ferimentos leves por estilhaços de uma mesa de madeira em que estava escondido.
  2. Kyle Velasquez, 16 anos. Morto por tiros de espingarda na cabeça e nas costas.
  3. Patrick Ireland, 17 anos. Baleado na cabeça e no pé.
  4. Daniel Steepleton, 17 anos. Baleado na coxa.
  5. Makai Hall, 18 anos. Baleado no joelho.
  6. Steven Curnow, 14 anos. Morto por um tiro no pescoço.
  7. Kacey Ruegsegger, 17 anos. Baleada no ombro, na mão e no pescoço.
  8. Cassie Bernall, 17 anos. Morta por um tiro de espingarda na cabeça.
  9. Isaiah Shoels, 18 anos. Morto por um tiro no peito.
  10. Matthew Kechter, 16 anos. Morto por um tiro no peito.
  11. Lisa Kreutz, 18 anos. Baleada no ombro, na mão, nos braços e na coxa.
  12. Valeen Schnurr, 18 anos. Ferida por tiros no peito, nos braços e no abdômen.
  13. Mark Kintgen, 17 anos. Baleado na cabeça e no ombro.
  14. Lauren Townsend, 18 anos. Morta por vários tiros na cabeça, no peito e na parte inferior do corpo.
  15. Nicole Nowlen, 16 anos. Baleada no abdômen.
  16. John Tomlin, 16 anos. Morto por vários tiros na cabeça e no pescoço.
  17. Kelly Fleming, 16 anos. Morta por um tiro de espingarda nas costas.
  18. Jeanna Park, 18 anos. Baleada no joelho, no ombro e no pé.
  19. Daniel Mauser, 15 anos. Morto por um único tiro no rosto.
  20. Jennifer Doyle, 17 anos. Baleada na mão, na perna e no ombro.
  21. Austin Eubanks, 17 anos. Baleado na mão e no joelho.
  22. Corey DePooter, 17 anos. Morto por tiros no peito e no pescoço.
columbine biblioteca victims

Algumas vítimas que se encontravam na biblioteca

12:08: O SUICÍDIO, OU O FIM DA LINHA

Aproximadamente às 12h08min, portanto 32 minutos depois que eles saíram da biblioteca, Patti Nielson, que havia se trancado dentro de uma sala de descanso com um aluno e outros funcionários da biblioteca, ouviu Eric e Dylan subitamente gritarem ao mesmo tempo:

Um! Dois! Três!
columbine game over

O fim do massacre de Columbine: Eric e Dylan contam até três e, em seguida, se suicidam

Estas palavras foram seguidas por som de tiros. Os dois cometeram suicídio: Eric atirou contra seu céu da boca com sua espingarda; Dylan atirou em si mesmo na têmpora esquerda de sua cabeça com sua semi-automática TEC-9.

Autor

Phellipe Böy Marran

Mestre em Filosofia Política. Pesquisador. Professor de Filosofia.
Continue lendo
ArtigosExecução Penal

Atual situação da execução penal: injustiça ou impunidade?

ArtigosDireito Penal Previdenciário

Apropriação indébita previdenciária

ArtigosDireito Penal

Os cinco do Central Park: quando a Justiça falha

ArtigosTribunal do Júri

Como ocorre a votação no Tribunal do Júri brasileiro

Receba novidades em seu e-mail