Noticias

Condenação de Maurício ‘Hétero Top’ por estupro em Belém: detalhes do caso chocante

Maurício Filho é condenado por estupro em Belém

A vida de Maurício César Mendes Rocha Filho, conhecido como “Hétero Top”, enfrenta mais um revés. Depois de ser envolvido na morte da influenciadora Luma Bonny em 2022 e de ser preso preventivamente, o jovem agora é condenado por estupro de uma mulher na cidade de Belém.

Maurício Filho já acumula uma série de acusações de estupro e atualmente está cumprindo uma pena de quatro anos na Cadeia Pública de Jovens e Adultos (CPJA), localizada no município de Santa Izabel do Pará. A detenção decorre de outro caso polêmico: o vazamento de conteúdo íntimo da influencer Luma Bony. Por este crime, a justiça o condenou a pagar uma indenização de R$ 100 mil para a família da vítima.

Condenação de Maurício 'Hétero Top' por estupro em Belém: detalhes do caso chocante
Imagem: Reprodução

Leia mais:

Chocante: policial civil é assassinado em assalto e imagens de segurança capturam o crime

Mãe de autor de massacre escolar é condenada nos EUA em caso inédito

Primeira condenação da série

Embora este não seja o único crime do qual Maurício Filho é acusado, trata-se da primeira condenação dentre as cinco queixas de estupro que recaem sobre ele. A decisão foi proferida nesta terça-feira (6) pelo juiz Eduardo Antônio Martins Teixeira, da 12ª Vara Criminal de Belém. Maurício foi sentenciado a seis anos e seis meses em regime semiaberto.

Detalhes do caso

Segundo o depoimento da vítima à justiça, ela conheceu Maurício em 2021 em um bar no centro de Belém. Eles mantiveram contato nos dias seguintes e, apesar de suas recusas iniciais, acabou cedendo às investidas de Maurício para encontrá-lo novamente. O encontro ocorreu no dia 27 de agosto de 2021 e resultou em um ataque brutal à vítima.

A jovem relatou que Maurício a forçou a manter relações sexuais, mesmo depois de ela afirmar que não estava disposta a fazê-lo. Por fim, o ato resultou em graves lesões à vítima, incluindo o esgarçamento da parede vaginal e laceração do períneo. Maurício só interrompeu a agressão após a vítima começar a sangrar intensamente.

Na sequência, a vítima procurou socorro médico, onde recebeu tratamento cirúrgico, mas Maurício não a ofereceu assistência e nem demonstrou arrependimento. A denúncia à polícia só ocorreu em 2023, após a vítima tomar conhecimento dos acontecimentos envolvendo o caso Luma Bony e a subsequente prisão do acusado.

A defesa de Maurício ainda não se pronunciou sobre a condenação.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo