Denúncia é recebida no caso do incêndio no Ninho do Urubu (Flamengo)

A denúncia oferecida em face de 11 pessoas, no caso do incêndio no Ninho do Urubu (Flamengo), que matou jovens atletas do clube, foi recebida pela 36ª Vara Criminal do Rio de Janeiro. Figura como réu na ação penal o então presidente do Flamengo à época, Eduardo Bandeira de Mello.

- Publicidade -

Incêndio no Ninho do Urubu

De acordo com a denúncia, “o Clube de Regatas do Flamengo dotou o Centro de Treinamento de investimentos vultosos em infraestrutura entre 2012 e 2019, mas continuou mantendo os jovens atletas da base em contêineres. Tais alojamentos da base não foram registrados como parte do projeto de licenciamento, foram montados em estruturas móveis clandestinas e produzidos sem as devidas cautelas quanto à estrutura de evacuação, luzes de emergência, disposição de portas, gradeamento das janelas e dotação de extintores de incêndio, deixando de observar as cautelas necessárias para a fuga de todos os atletas e a contenção de eventual início de incêndio no alojamento dos mesmos, incrementando o risco do resultado por negligência”.

Leia mais:

STJ: denúncias de origem não identificada impossibilitam violação de domicílio


- Publicidade -

Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais