Noticias

Desembargador de MS alvo da PF em operação contra corrupção e lavagem de dinheiro

Suspeita de corrupção: Polícia Federal investiga desembargador de MS

A Polícia Federal (PF) deflagrou a operação “Spectaculum” nesta terça-feira (06), no âmbito do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A ação tem como principal alvo o desembargador de Mato Grosso do Sul, Paulo Afonso de Oliveira.

Desembargador de MS alvo da PF em operação contra corrupção e lavagem de dinheiro
Imagem: Reprodução

Leia mais:

Ofensiva israelense se prepara para entrar em Rafah, apesar das negociações com o Hamas

Macron classifica atentado em Israel como o “maior massacre antissemita do século”

Início das investigações

As investigações originaram-se dos desdobramentos de uma decisão monocrática concedida pelo desembargador. Em abril de 2020, durante um plantão judiciário, Paulo Afonso concedeu liminarmente um habeas corpus ao narcotraficante de alta periculosidade, Gerson Palermo. Este último é vinculado a uma facção criminosa e possui ampla ficha criminal, incluindo tráfico internacional de drogas, lavagem de capitais e organização criminosa.

Fuga de Gerson Palermo

O habeas corpus proporcionou a Palermo a possibilidade de prisão domiciliar, desde que monitorado eletronicamente. Entretanto, logo após a concessão da liminar, Palermo rompeu a tornozeleira eletrônica e está foragido até o momento. Apesar da decisão de Paulo Afonso ter sido revogada no dia seguinte por outro desembargador, não foi possível recapturar o narcotraficante.

A Operação Spectaculum investiga crimes de corrupção passiva e lavagem de capitais. Todas as informações sobre o caso estão sendo mantidas sob segredo de justiça no STJ.

Ação da PF atinge advogados

Conforme nota oficial divulgada pela Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS) em seu site oficial, a ação da PF também atinge outros advogados inscritos na seccional, além do próprio Tribunal de Justiça do estado. A Spectaculum busca elucidar todos os elos possíveis desta intrincada rede de corrupção e lavagem de dinheiro, que pode ir além do judiciário sul-mato-grossense.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo