Noticias

Desfile da Vai-Vai causa revolta na Polícia Militar; entenda

A polêmica do desfile da Vai-Vai no Carnaval de São Paulo

No último sábado (10), o Sambódromo do Anhembi em São Paulo foi palco de uma polêmica envolvendo a tradicional escola de samba Vai-Vai. Durante seu desfile, uma ala da escola retratou a tropa de choque da Polícia Militar (PM) de maneira demoníaca, remetendo à alta repressão policial dos anos 90.

O ato desagradou policiais e políticos de direita, que agora exigem um pedido de desculpas e o corte de verbas públicas destinadas à escola.

desfile da vai-vai
Foto: Divulgação/Vai-Vai

Leia mais:

Alerta de Carnaval: Furto de celulares em alta nos blocos de Belo Horizonte, diz PM

Tragédia no Carnaval: Criança de 5 anos morta e adolescentes são acusados em Marília

A resposta da Vai-Vai

Em resposta às críticas, a Vai-Vai emitiu uma nota onde argumenta que seu desfile teve como objetivo retratar de maneira fiel o cenário Paulistano dos anos 90, marcado por intensos conflitos entre a polícia e a população periférica. Segundo a escola de samba, a representação da tropa de choque foi uma referência a essa realidade vivenciada na época.

O enredo do desfile

A homenagem da Vai-Vai foi direcionada ao álbum “Sobrevivendo no Inferno”, do grupo Racionais MC’s, um dos mais emblemáticos do gênero hip hop brasileiro. Lançado em 1997, o disco trazia em suas letras duras críticas à brutalidade policial e à violência nas periferias paulistanas.

A reação da polícia e de políticos

O Sindicato dos Delegados de Polícia de São Paulo (Sindpesp) emitiu uma nota de repúdio ao desfile, afirmando que a escola de samba afrontou as forças de segurança e desrespeitou profissionais da lei. Além disso, os deputados federais Capitão Augusto e Dani Alonso, ambos do PL, encaminharam um pedido ao prefeito de São Paulo e ao governador do estado, solicitando corte no repasse de recursos públicos à Vai-Vai em 2025.

A nota da Vai-Vai na íntegra

A escola de samba reafirma em sua nota, que não tinha a intenção de promover nenhum ataque individualizado ou provocação, mas sim homenagear um movimento e um contexto histórico. Segundo a Vai-Vai, a escola apenas expôs os acontecimentos históricos da década de 90, em que a segurança pública em São Paulo apresentava índices altíssimos de mortalidade da população preta e periférica e a marginalização do movimento hip hop.

Com sua atuação no carnaval Paulistano a Vai-Vai reforçou a importância da liberdade de expressão e o papel do Carnaval como ferramenta de protesto e reflexão social.

Fonte: Brasil de Fato

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo