- Publicidade -

Digital influencer é presa pela PF em Guarulhos por tráfico internacional

- Publicidade -

A digital influencer e advogada Laís Crisóstomo Aguiar foi presa pela Polícia Federal (PF) por tráfico internacional de quase meio quilo de cocaína. O caso aconteceu na semana passada no Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP).

- Publicidade -

A defesa da blogueira impetrou pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3), porém o desembargador relator,Valdeci dos Santos, negou a concessão da liminar.

A mulher foi presa em flagrante pela PF em Guarulhos, quando viajaria para Dubai, nos Emirados Árabes. A cocaína estava dentro de uma mala carregada por um homem de nome Peterson de Souza Fontes, mas que continha seus pertences.

Os policiais constataram a presença das drogas – que estavam dentro de cápsulas no interior de frascos de suplementos alimentares – por meio do aparelho de raio x. Em seguida, os agentes localizaram a blogueira e homem e os conduziram à sede policial para a revista e perícia, ambas acompanhadas por testemunhas.

A digital influencer tem cerca de 410 mil seguidores no Instagram, onde ostenta uma vida de luxo e mostra viagens em lugares como as Ilhas Maldivas e Mônaco.

- Publicidade -

O advogado da blogueira alegou que não estariam presentes os requisitos para a prisão preventiva, pois Laís seria ré primária, teria residência fixa e emprego lícito. Segundo o advogado também não haveria elementos suficientes para ligar a mulher ao crime.

A Justiça Federal, contudo, não concordou e manteve prisão preventiva. Segundo o desembargador relator:

- Publicidade -

A versão apresentada pela Laís Crisóstomo Aguiar no sentido de que desconhecia o conteúdo da mala não se apresenta verossímil (coerente), tendo em vista que a cocaína apreendida estava escondida numa mala com os objetos pessoais da paciente.

Na decisão, consta que Peterson confessou ser o dono da cocaína, mas, mesmo assim, entendeu-se que ainda não há provas suficientes que confirmem a afirmação. O desembargador pontuou que se tratam “de questões a serem dirimidas ao longo da instrução penal”.

Leia também

- Publicidade -

Caso Pirata do Arpoador: laudo do IML é inconclusivo e novos serão feitos

Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais