- Publicidade -

Em atentado contra advogado em AL, juiz acredita que era o verdadeiro alvo

No ano de 2009, o advogado Nudson Harley Mares de Freitas, de 46 anos, foi morto a tiros enquanto falava em um telefone público na cidade de Mangabeiras (AL). Segundo a Polícia Federal, novas informações foram obtidas no inquérito que apura a morte do advogado, sendo que um juiz acredita que era o verdadeiro alvo.

- Publicidade -

Juiz acredita que era o verdadeiro alvo

Na época do crime, os jornais locais noticiaram que o assassinato havia sido por engano. A promotora Marluce Falcão, também afirmou que o autor do crime, Antonio Wendel Guarnieri, havia dito que recebeu  R$ 20 mil para assassinar uma autoridade alagoana.

No entanto, o delegado que havia sido chefe da Divisão Especial de Investigações e subsecretário de Defesa Social, Paulo Cerqueira, afirmou que possibilidade era remota e que a Polícia Civil já tinha o nome de um suspeito”. No entanto, não foi apontado um suspeito no inquérito policial.

Com as novas informações, Paulo Cerqueira (antigo delegado), que hoje é delegado-geral da Polícia Civil, foi indiciado pela morte do advogado. No mesmo sentido, as investigações apontam que Natan Simeão Lira, cabo da Polícia Militar, teria contratado os autores do crime a mando de Cerqueira.

- Publicidade -

Antônio Wendel Guarnieri foi um dos executores, tendo participado diretamente dos disparos. Ele afirmou à Polícia Federal que a ordem era executar o juiz Marcelo Tadeu. Outros elementos também concluem que Cerqueira, além de pagar as despesas de Guarnieri com seus próprios recursos, também havia prejudicado as investigações de forma proposital.

A PF também realizou interceptações telefônicas entre os acusados Antônio Wendel e Valdir Pitbull. Nos diálogos restou demonstrado que eles combinaram como seria a dinâmica do crime: Wendel pilotaria a moto e Pitbull atiraria na vítima.

Outra informação trazida pela PF é que alguns extratos telefônicos foram retirados e sonegados dos autos indevidamente pela Polícia Civil.

Por fim, o juiz Marcelo Tadeu afirmou que irá se manifestar futuramente sobre os desdobramentos do caso em que é vítima.

*Esta notícia não reflete, necessariamente, o posicionamento do Canal Ciências Criminais

- Publicidade -

Leia mais:

Saiba como aumentar a chance de revogar uma prisão


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais