- Publicidade -

Em SP, app SOS Mulher ajuda mulheres a pedirem socorro com um botão

- Publicidade -

Mulheres com medidas protetivas concedidas pelo Tribunal da Justiça de São Paulo (TJSP) podem pedir socorro pelo aplicativo SOS Mulher, quando se encontrarem em uma situação de risco.

- Publicidade -

As vítimas podem solicitar ajuda apertando apenas um botão no celular, por meio do aplicativo, e a viatura da Polícia Militar mais próxima da vítima será enviada rapidamente para o local onde foi emitido o sinal.

Há três etapas simples para que a mulher em perigo consiga obter ajuda. Vamos a elas.

Em primeiro lugar faz-se necessário que a mulher tenha uma medida protetiva concedida pelo Tribunal da Justiça de São Paulo. É necessário, ainda, que essa medida seja válida (segundo passo).

Assim, basta que a mulher instale a ferramenta, que está disponível para download tanto na Apple Store (para sistema operacional IOS) quanto na Play Store (para o sistema operacional Android).

- Publicidade -

Por fim, após o download no aplicativo no celular, a mulher deverá realizar o cadastro dos seus dados pessoais.

As mulheres vítimas de violência cadastradas no aplicativo podem pedir ajuda por meio dele todas as vezes em que estiverem em perigo.

- Publicidade -

Ao abrir o aplicativo, a mulher que estiver em perigo precisa apertar o botão disponível nele por cinco segundos. No mesmo momento, automaticamente, será gerada uma ocorrência de risco à integridade física pelos Centros de Operações da Polícia Militar (Copom) em todo o estado de São Paulo.

Vale dizer que, após a chegada da polícia ao local, é importante que a mulher apresente a decisão do juiz que concedeu as medidas protetivas para comprovação do seu descumprimento.

Leia também

- Publicidade -

Justiça do RJ nega novo pedido de Flordelis para retirada de tornozeleira


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais