Noticias

Estudantes são condenados por falsa imputação de racismo a professor da UFRGS

Estudantes são condenados

Estudantes são condenados por falsa imputação de racismo a professor da UFRGS

Dois estudantes (um aluno e uma aluna) foram condenados por denunciação caluniosa no Estado do Rio Grande do Sul.

A 11ª Vara Federal de Porto Alegre entendeu que foi falsamente imputado ao professor da UFRGS o crime de preconceito racial.

Segundo informações, a aluna teria ainda falsificado documentos para dar embasamento a sua queixa, realizada à direção da UFRGS.

A aluna foi condenada a sete anos e dez meses de reclusão no regime inicial semiaberto.

Já o estudante foi condenado a quatro anos de reclusão, sendo substituído a serviço comunitário e ao pagamento de prestação pecuniária.

A aluna, natural da República da Guiné-Bissau, fazia intercâmbio na UFRGS.

Conforme informações divulgadas, a aluna era obrigada a passar para não perder o benefício do intercâmbio, mas foi pega colando na prova, o que acarretou em sua reprovação.

Tentando remediar a situação, a estudante e o rapaz condenado exigiram que o professor desse uma nota suficiente para aprovação, o que não ocorreu.

Diante dos fatos, realizaram uma reclamação à direção da universidade, alegando preconceito racial por parte do professor, que sempre teve vínculos com a sociedade africana, sendo, ainda, um estudioso do continente.

A mesma reclamação foi realizada na Defensoria Pública da União, com assinatura de outros três alunos em declarações sustentando sua versão. O aluno que entregou as declarações foi indiciado juntamente.


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

Autor

Redator do Canal Ciências Criminais
Continue lendo
JurisprudênciaNoticias

STJ: o crime de calúnia não se contenta com afirmações genéricas e de cunho abstrato

JurisprudênciaNoticias

STJ: a imunidade em favor do advogado, no exercício da atividade, não abrange a calúnia

JurisprudênciaNoticias

STJ: falta da assinatura do perito criminal no laudo toxicológico é mera irregularidade

Noticias

Magistrado permite a casal cultivar maconha para tratar saúde do filho

Receba novidades em seu e-mail