Ex-jogador do Flamengo processa mulher que o acusou de estupro

O ex-jogador do Flamengo, Whelliton Augusto Silva, esta processando uma mulher que o acusou de estupro. A denúncia foi feita não só contra o ex-atleta, como também contra a sua esposa. No entanto, o ministério público pediu o arquivamento do caso por ausência de provas.

Agora, Whelliton processa a mulher e alega que a denúncia fez parte de uma perseguição política,  devido sua posição de vereador na cidade.

jogador

Denúncia contra o ex-jogador

Whelliton Augusto Silva começou sua carreira de jogador de futebol no Santos, passou por times como Boavista, de Portugal e Flamengo. Encerrou a carreira em 2006, e hoje atua como vereador.

A acusação de estupro feita contra o ex-jogador e sua esposa foi relatada por Letícia Almeida Holanda de Albuquerque, que na ocasião contou à polícia que  teria sido estuprada 72 dias antes de ir à delegacia. Letícia afirmou que teria ido até a casa do casal, e acordou às 03h da manhã “na mesma cama que os investigados”, e teria notado que “sua blusa estava do avesso e que estava sem calcinha”.

O Ministério Público, por sua vez, pediu o arquivamento do caso por falta de prova da materialidade e indícios de autoria. Apesar da repercussão do caso, o próprio promotor apontou em sua manifestação que a denunciante não fez qualquer sustentação de que teria sido estuprada. O juiz do caso acolheu o pedido e arquivou a denúncia em 30 de setembro.

Após o arquivamento do caso, Letícia assumiu que havia mentido e disse ser portadora de síndrome de borderline, que é um transtorno de personalidade grave, diagnosticado na psiquiatria.

A advogada de Letícia propôs ação de interdição contra a própria cliente, requerendo que seu pai fosse seu curador e alegando que Letícia não possui condições de responder pelos seus atos.

Whelliton e sua esposa, Janaina, afirmam que as falsas acusações foram uma “armação política” arquitetada por políticos da cidade, que tinham a intenção de “macular sua imagem”.

O casal reuniu documentos e áudios que apontam que a denúncia se deu a partir de movimentação de Letícia junto ao grupo do adversário político. Eles alegam também que foram vítima de uma tentativa de extorsão, processo que corre em segredo de Justiça.

Fonte: Lance