Noticias

Filho de líder rural é morto por traficantes que queriam terras para cavalos

O filho do líder rural Geovane da Silva Santos, de nove anos, foi morto por homens encapuzados que invadiram a casa da família. Segundo a investigação, os autores do crime são pessoas envolvidas em tráfico de drogas que se desentenderam com o pai da criança por causa de um pedaço de terra para criação de cavalos.

O delegado responsável pela investigação, Marcelo Queiroz, informou que três pessoas já foram presas, dois homens e um adolescente. Segundo a autoridade policial, o adolescente e um dos homens confessaram a prática do crime, e o outro homem negou. Além deles, pelo menos outras três pessoas estão foragidas, e duas delas são apontadas como as responsáveis pelos tiros que matou o menino Jonatas Oliveira. A polícia divulgou que a criança levou três tiros.

O crime aconteceu dia 10 de fevereiro, quando homens encapuzados invadiram a casa da família de Jonatas. Ele, a mãe e os outros irmãos se esconderam em baixo de uma cama, e um dos homens puxou o menino e atirou nele. Em sequência atirou no pai, que teve o ombro atingido, mas resistiu aos ferimentos.

O delegado Marcelo Queiroz explicou que o grupo criminoso havia tentado comprar uma terra, e que, após a rejeição do dono, o grupo tentou invadi-la sem sucesso. À noite eles voltaram invadiram a residência e cometeram o crime.

Eles disseram que fazem parte de uma rede de droga da região. Um de seus líderes estaria interessado em um pedaço de terra para criar cavalos. Ofereceram um valor bem abaixo do mercado e o dono rejeitou. No linguajar deles ‘ficaram na mágoa’ e foram cobrar ao pai da criança

A versão dos presos que confessaram a prática do crime é de que eles teriam achado que pai do menino estava escondido debaixo da cama e acabaram e alvejaram acidentalmente a criança.

Os três presos passaram pela audiência de custódia e tiveram a prisão confirmada. A justiça determinou que os dois homens deveriam ficar em celas separadas, e o menor foi internado na unidade da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife.

Leia também

TJ-SP absolve homem acusado de colidir em moto e fugir do local


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo