Noticias

Novo filme vai relembrar o crime bárbaro do cirurgião Farah Jorge Farah

Eis aqui um interessante olhar nos bastidores da filmagem do novo e pouco convencional drama de tribunal brasileiro, “Doutor Monstro”. Este filme, que concluiu recentemente suas gravações, promete chocar o público com sua impressionante reconstituição do polêmico caso de Farah Jorge Farah, um cirurgião plástico que matou e esquartejou uma de suas pacientes em 2003.

A característica distinta de “Doutor Monstro” é o fato de estar principalmente confinado dentro do majestoso Tribunal do Júri de Curitiba. Com cenas longas repletas de diálogos minuciosamente escritos pelo diretor Marcos Jorge, esta abordagem é uma ruptura revigorante da norma consagrada pelo tempo no cinema brasileiro.

Leia mais:

Adolescentes também podem ser punidos por um crime no Brasil?

Posso ser preso por dirigir sem CNH?

Caso Farah: o que torna diferente “Doutor Monstro”?

A maioria dos filmes segue a fórmula estabelecida de “ação” e “corta” com cenas curtas e açucaradas para reter a atenção do público. “Doutor Monstro”, entretanto, se aventura em novos terrenos. É construído a partir de intrincados diálogos, projetados para mergulhar os espectadores na complexidade do sistema de justiça brasileiro e para engajá-los nas sutilezas dos embates judiciais.

Marcos Jorge, conhecido por seus filmes “Estômago” e “Mundo Cão”, reescreveu seu próprio roteiro para transformar o crime verdadeiro em um drama fascinante de tribunal. Seu foco é não apenas o crime horrendo, mas também a tortuosa jornada de Farah Jorge Farah pelo sistema judiciário.

Como “Doutor Monstro” retrata a Justiça Brasileira?

A condenação de Farah Jorge Farah resultou em uma pena de prisão de 16 anos. No entanto, ele apelou e viveu em liberdade a partir de 2007. Uma década depois, uma nova decisão confirmou sua sentença, mas antes que ele pudesse cumpri-la, Farah se suicidou.

Ao explorar este caso, “Doutor Monstro” propõe-se a nos lembrar das falhas do sistema de justiça brasileiro e convida-nos a avaliar suas repercussões mais amplas. De fato, uma manifestação de apoiadores de Bolsonaro ocorreu no mesmo local onde o “crime” era ficticiamente julgado, realçando ainda mais a ironia da situação.

Apesar de ser um retrato sombrio de um crime terrível, “Doutor Monstro” também é um tributo à ousadia do cinema brasileiro em desafiar as narrativas convencionais.

Atriz Taís Araújo, crítica de Bolsonaro e conhecida por sua postura política, desempenha o papel da promotora que luta para condenar o “monstro”. Com a produção da Zencrane Filmes, este fascinante drama de tribunal está previsto para estrear no segundo semestre de 2024.

“Doutor Monstro” é mais do que um simples relato de um crime verdadeiro. Ele desafia as convenções clássicas do cinema, mergulha profundamente nas complexidades do sistema de justiça brasileiro e promete ser uma adição memorável à crescente biblioteca de dramas de tribunais brasileiros.

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo