- Publicidade -

“Gatinha da Cracolândia” vira ré por tráfico de drogas

- Publicidade -

“Gatinha da Cracolândia” foi o apelido dado a Lorraine Bauer Romeiro, de 19 anos, presa desde julho desse ano. A jovem virou ré após ser denunciada por tráfico de drogas pelo Ministério Público de São Paulo.

- Publicidade -

De acordo com a denúncia, agentes do MP encontraram em Barueri, casa onde Lorraine foi presa, mais de 400 porções de crack, cocaína, maconha e ecstasy, além de quase 100 frascos de lança-perfume. Após aceitar a denúncia, a juíza da 13ª Vara Criminal de São Paulo Erika Fernandes marcou para o dia 19 de novembro a audiência sobre o caso, que corre sob segredo de justiça.

Em setembro deste ano, Lorraine afirmou que é usuária e nunca vendeu drogas. Já de acordo com a polícia civil, a jovem é suspeita de integrar um esquema de tráfico e drogas juntamente com o namorado, na região da Cracolândia, no centro de São Paulo (SP). Em entrevista à Rede Record, Lorraine negou as acusações:

Não [sou traficante]. Sou usuária. Tinha uns 14, 15 anos [na primeira vez que usou drogas]. Uma vez, me ofereceram maconha e acabei fumando. Eu acabei gostando da sensação, e aí, no outro dia, queria de novo e de novo. Foi aí que percebi que tinha virado dependente. Já usei bala, cocaína, lança-perfume e maconha.

Ainda na entrevista, a jovem declarou:

- Publicidade -

- Publicidade -

Nunca vendi, só ia para comprar. Tudo que está acontecendo na minha vida é uma injustiça. Se eu estivesse pagando por coisas que eu fiz, estaria com o coração mais tranquilo. A pior coisa do mundo é ser acusada por coisas que você não fez. Nada daquilo era meu. Não sou chefe de crime de tráfico nenhum.

Leia também

STJ: cabe ao júri decidir se o ciúme pode qualificar o crime de homicídio


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais