ArtigosDireito Penal

Golpe do boleto bancário por resgate de automóvel roubado

Canal Ciências Criminais
golpe do boleto bancário

Golpe do boleto bancário por resgate de automóvel roubado

Como já dito em artigos anteriores, os criminosos buscam se especializar todos os dias, para que assim possam aprimorar os golpes aplicados. Por isso, recentemente um novo golpe surgiu: o pagamento de resgate por carro roubado.

Como funciona o golpe do boleto bancário por resgate de automóvel roubado

Funciona de maneira simples: basta você estacionar seu carro em uma rua, que, dentro de instantes, uma mensagem via WhatsApp é recebida por um número desconhecido. Uma foto do seu carro é enviada, e a mensagem que acompanha solicita o pagamento de um determinado valor para que este carro não seja roubado.

E o que ocorre na maioria dos casos? A vítima, por desespero, efetua o pagamento. Qual a surpresa? O carro foi roubado mesmo assim.

Por isso, este artigo vai explicar a atuação dos criminosos, quais medidas preventivas devem ser tomadas para não ser vítima desta fraude, e, caso ela ocorra, como reagir frente ao ocorrido.

Primeiramente, vale ressaltar que os criminosos não atuam sozinhos. Existe desde o sujeito que envia as mensagens via aplicativo de conversa, até o que visualiza o automóvel escolhido e, por fim, o recebedor da quantia paga.

Eles são observadores, e com toda certeza já possuem um histórico da vítima, como, por exemplo, a pessoa que estaciona o carro todo dia no mesmo horário, na mesma rua e na mesma vaga. Essa com toda certeza vira um alvo fácil para a prática do crime.

Ainda, o criminoso que é o recebedor da quantia pelo boleto bancário, em muitas ocasiões passa despercebido em muitas instituições pelos valores baixos recebidos. Os criminosos em geral solicitam por volta de R$ 1.000,00, até mesmo para não chamar tanta “atenção”.

E, por óbvio, que eles possuem “parcerias” que conseguem obter os dados do dono do veículo através da placa, e por conta disso o contato via WhatsApp, conversa a qual vem com uma profunda pressão para a realização do imediato pagamento.

Todos sabemos que é muito comum estacionar um carro na rua, principalmente quando esta é movimentada e não está em local considerado como de risco, mas, como se vê neste modelo de fraude, todos estão sujeitos a serem vítimas.

Por isso, a primeira recomendação é possuir um seguro no veículo e preferencialmente usufruir de estacionamento caso o mesmo vá ficar por um período considerável estacionado. Muitos optam por estacionar na rua, até mesmo por conta das diárias de estacionamentos que possuem altos preços, contudo é de se reconsiderar se vale a pena perder um automóvel frente ao valor de uma diária.

Contudo, caso você seja vítima deste modelo de fraude, eis algumas considerações:

1. Ao receber um boleto para pagamento, o primeiro ponto a ser observado é o código do banco. Esse dado fica nas três primeiras posições expostas na linha digitável, repetindo-se na sequência dos primeiros que compõe a aludida linha. São exemplos de códigos de Banco os seguintes: 341 – ITAÚ, 237 – BRADESCO, etc. Ressalta-se que estes códigos não precisam ser decorados, pois o site da FEDERAÇÃO BRASILEIRA DOS BANCOS (FEBRABAN) disponibiliza todos os códigos neste link. Assim, se possível faça contato imediato com a instituição que o emitiu e informe o ocorrido, pois de pronto eles vão avaliar a conta e efetuar as medidas internas cabíveis.

2. Imediatamente contate a polícia e informe local em que o veículo estava juntamente com todos os dados necessários. Como dito acima, o carro é roubado e o pagamento do suposto resgate acaba sendo um “A MAIS” para o criminoso. Passe também o número a qual o criminoso está contatando você, para que eles também saibam maiores informações e facilite o processo criminal.

Por óbvio, se o veículo estiver próximo não custa fazer a verificação do mesmo (com cautela) antes de efetuar a ligação para o órgão policial comunicando do roubo. Caso ele ainda esteja estacionado, de qualquer forma faça um boletim de ocorrência pois será apurado a tentativa de extorsão. Passe da mesma forma, os dados do contato do criminoso.

Já são inúmeros os casos de roubo acompanhado dessa fraude via boleto, e os criminosos conseguem receber os valores pois eles impactam o psicológico da vítima. Receber a informação via WhatsApp: “pague o boleto para ter seu carro” faz com que muitos não pensem racionalmente e caiam nesse golpe virtual.

Todo cuidado é pouco neste mundo com tantas facilidades digitais, que, infelizmente, são utilizadas com fins ilícitos.


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais, incluindo novos textos sobre o golpe do boleto bancário por resgate de automóvel roubado?

Então, siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

Autor
Especialista em Direito Digital. Advogada.
    Continue lendo
    Receba novidades em seu e-mail