Noticias

Homem que apontou arma para menino em SP é investigador da polícia

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) anunciou hoje que conseguiu identificar o indivíduo flagrado apontando uma arma para um adolescente no bairro do Carandiru, Zona Norte da capital paulista, no último domingo (12). De acordo com a SSP, o homem em questão, referido como Paulo por uma mulher que tentava proteger o adolescente, é um investigador da Polícia Civil. Atualmente, ele está sob investigação da Corregedoria da corporação.

Ação imediata da Polícia Civil

A Polícia Civil, ao tomar conhecimento do vídeo, iniciou um inquérito policial para identificar o homem armado, confirmado como investigador da polícia. A Corregedoria foi acionada para investigar o caso, conforme declarado pela SSP em nota oficial.

Leia Mais:

Polícia Federal apreende veleiro que teria sido roubado na Europa; veja

Sérgio Moro afirma que ‘o crime organizado se sente confortável no Governo Lula’

Pedido de afastamento e desarmamento do investigador da polícia

investigador da polícia
Imagem: Reprodução

Claudio Silva, ouvidor das polícias de São Paulo, anunciou em entrevista à GloboNews sua intenção de solicitar o afastamento e desarmamento do investigador. Ele fundamenta seu pedido citando o histórico de episódios violentos do policial, que levou sua própria irmã a obter uma medida protetiva contra ele.

Medidas disciplinares

O vídeo, publicado pela Ponte Jornalismo e amplamente compartilhado nas redes sociais, revela o investigador apontando uma arma para um adolescente, acusado de realizar roubos na região da estação do Metrô. Além da atitude violenta do investigador, chama a atenção a omissão de uma policial militar uniformizada que assiste à cena sem intervir.

A SSP considerou a conduta omissa da policial militar como grave, destacando que não condiz com as expectativas da sociedade nem com as responsabilidades de um profissional de segurança pública. Como resultado, a policial foi afastada dos serviços operacionais até a conclusão do Inquérito Policial Militar instaurado para apurar os fatos.

Assista ao vídeo:

Demandas de investigação adicionais

O ouvidor Claudio Silva expressou seu repúdio à postura da policial militar em relação ao incidente, afirmando que solicitará à Corregedoria da PM mais explicações e investigação. Ele destaca que, independentemente do possível crime cometido pelo jovem, o adolescente também foi vítima de lesão corporal e ameaça grave por arma de fogo. O ouvidor enfatiza a falha da policial de folga em não verificar a documentação do homem armado e destaca que ela deveria ter protegido o rapaz, identificado o agressor e conduzido a ocorrência para a delegacia.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo