- Publicidade -

Jovem rico que abusou de 4 mulheres não irá para a prisão nos EUA

- Publicidade -

Mesmo tendo reconhecido que abusou de quatro adolescentes na casa dos seus pais em um bairro rico de Nova York, Christopher Belter, de 20 anos, não irá para a prisão.

- Publicidade -

De acordo com decisão proferida pelo juiz do Tribunal do Condado de Niágara, Matthew J. Murphy III, que causou indignação nas vítimas e suas famílias, o jovem apenas cumprirá oito anos em liberdade condicional.

Os estupros aconteceram entre os anos 2017 e 2018, onde Christopher frequentava uma escola particular em Buffalo. Das vítimas, três tinham 16 anos e uma 15, nas datas dos crimes que ocorreram em incidentes separados.

O magistrado disse estar “agonizando” pelo caso de Belter, que, de acordo com o jornal Washington Post, se declarou culpado em 2019 pelos crimes de estupro em terceiro grau e tentativa de agressão sexual em primeiro grau, além de duas acusações menores de abuso sexual no segundo grau.

O juiz concluiu que o tempo atrás das grades, que poderia ser de oito anos de prisão, “seria inapropriado” para Belter.

- Publicidade -

O jovem terá que se registrar como agressor sexual como parte de sua sentença.

Brian Seaman, promotor distrital do condado de Niágara, expressou frustração com a sentença. O advogado de uma das vítimas, Steven M. Cohen, disse ao Washington Post que a justiça não havia sido feita:

Minha cliente vomitou no banheiro feminino após a sentença. Se Belter não fosse um réu branco de uma família rica e influente, na minha experiência… ele certamente teria sido condenado à prisão.

- Publicidade -

Belter recebeu uma sentença de dois anos em seu primeiro julgamento, onde foi julgado com delinquente juvenil, recebendo uma sentença de dois anos de liberdade condicional se cumprisse a pena. Entretanto, em outubro deste ano, o juiz Murphy determinou que o acusado seria julgado como um adulto “por sua violação documentada” da condenação anterior.

O advogado de defesa alegou, na audiência de condenação, que seu cliente se arrependeu das atitudes cometidas em sua adolescência. A mãe, o padrasto e um amigo de Belter também foram acusados por facilitar o abuso e fornecer álcool e maconha aos adolescentes. Os três se declaram inocente e aguardam julgamento.

- Publicidade -

Leia também

STJ define novas diretrizes sobre desídia defensiva


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

- Publicidade -

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais