- Publicidade -

Liberdade de expressão e ofensa à honra nas redes sociais

- Publicidade -

Liberdade de expressão e ofensa à honra nas redes sociais

- Publicidade -

Lembramos que é impossível esgotar o tema em poucas linhas, o presente artigo serve como marco inicial para quem tem interesse no assunto.

A correnteza das redes sociais é uma realidade. Não podemos nadar contra e temos que nos adequar e seguir o código de conduta, para que possamos viver em harmonia.

No ano de 1988, o nosso Congresso Nacional escreveu a Constituição Federal, que carinhosamente chamamos de Carta Cidadã. Dentro de seu texto, encontramos a redação do artigo 5, inciso IV que em bom e cristalino vernáculo diz o seguinte:

- Publicidade -

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

[…] IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.

A carta cidadã de 1988, quando escreveu “é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o seu anonimato” buscava proteger as manifestações de pensamentos, atividades intelectuais, artísticas e culturais. Sempre usando como norte o Estado democrático.

Ocorre que, no calor da discussão em um ambiente virtual, o debate sai do campo da ideia e passa para o lado pessoal, o debatedor passa a ser o agressor e  acha-se protegido por estar a quilômetros de distância da vitima começando a proferir ataques a honra desta,  esquecendo aquele que os caracteres proferido nas redes sociais , também é alcançado pelo direito penal brasileiro e pela legislação civil vigente.

Em uma apertada analise no caderno penal brasileiro em vigor, visualizamos os crimes contra honra, que tem morada nos artigos 138, 139 e 140. Exemplos:

  • Calúnia: Beltrana conta que Fulana entrou na casa da Ciclana e afanou suas jóias;
  • Difamação: Beltrana conta no twitter que Fulana deixou de pagar suas contas e é devedora (deixar de pagar as contas não é crime e não importa se este fato é mentira ou verdade. ou seja, Beltrana cometeu o crime de difamação e a vítima é Fulana);
  • Injuria: Beltrana chama Fulana de “ladra” ou “imbecil”. Beltrana cometeu o crime de injúria e Fulana é a vítima (se o xingamento for fundamentado em elementos extraídos da raça, cor, etnia, religião, origem ou condição de idosa ou deficiente, o crime será chamado de “injúria discriminatória”)

- Publicidade -

Sugiro aos usuários das redes sociais mais cuidado antes de aperta o “ENTER”, para evitar responder um processo criminal e civil. Aproveite o mundo digital para construir novas ideias, travar um bom debate e nunca,  para ofender a honra de terceiros.


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Então, siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais

Prima de Daniella Perez encontra Paula Thomaz em shopping Raul Gazolla manda recado para marido de Paula Tomaz Bolsonaro e Michelle visitam igreja em que Guilherme de Pádua é pastor Esposa de Guilherme de Pádua comenta sobre série da HBO Max O atirador de Realengo