Noticias

Com nome falso e longe de casa, perigoso líder de facção é capturado em Copacabana

Nesta terça-feira, 09 de janeiro, um dos criminosos mais procurados pelas forças de segurança na Serra Gaúcha, que seria o líder de uma facção que atua no Rio Grande do Sul (RS), foi preso. Ele estava foragido há mais de 3 anos e foi encontrado no Rio de Janeiro (RJ). O suspeito usava nome falso e morava em um apartamento no bairro de Copacabana.

A prisão do criminoso ocorreu graças a uma ação conjunta da Polícia Federal (PF) e das polícias Civil e Militar gaúchas. A descoberta do paradeiro do suposto líder de facção foi possível por meio da troca de informações entre as instituições. Policiais federais que o encontraram no bairro da capital fluminense foram os responsáveis por prendê-lo.

Com nome falso e longe de casa, perigoso líder de facção é capturado em Copacabana
Foto: Reprodução/Poder360

Leia mais:

Crise de violência no Equador: entenda o que motivou a onda que está espalhando o terror pelo país

Indicada de Lula ao STJ reabre caso de hackeamento na J&F: R$ 15 bilhões estão em jogo

Após os procedimentos legais, o preso foi levado para uma unidade do sistema penitenciário do Rio de Janeiro, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Histórico criminal do líder de facção

O criminoso preso nesta terça-feira, considerado um indivíduo altamente perigoso, foi responsável por cometer três homicídios duplamente qualificados e uma tentativa de assassinato duplamente qualificada, no município de Caxias do Sul, localizado no interior do RS. Devido aos delitos, ele foi condenado pela Justiça a 30 anos de reclusão.

Além desses crimes, o líder de facção respondia a outros cinco processos criminais, em que era acusado por mais dois homicídios; três tentativas de homicídio qualificado; fuga de presídio; posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito – duas vezes; tráfico de drogas; associação para o tráfico; corrupção ativa; e favorecimento real.

Em janeiro de 2020, o criminoso havia sido beneficiado pela progressão de regime para cumprimento do restante da pena no semiaberto, com uso de tornozeleira eletrônica, mas, pouco tempo depois, rompeu o dispositivo e fugiu.

Fonte: Metrópoles

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo