- Publicidade -

Major condenado pelo homicídio de Amarildo é reintegrado à Polícia Militar

Major condenado por homicídio é reintegrado aos quadros da Polícia Militar. Edson Raimundo foi condenado a 13 (treze) anos e 07 (sete) meses de prisão por torturar e matar o ajudante de pedreiro Amarildo Souza.

- Publicidade -

Conforme consta nos autos, o major Edson e outros 12 (doze) policias militares levaram Amarildo Souza para a base da UPP (unidade de polícia pacificadora) no dia 14 de julho de 2013, pois acreditavam que o mesmo sabia do paradeiro de traficantes locais. O pedreiro nunca mais foi visto e seu corpo nunca foi encontrado.

Os 13 (treze) policiais militares foram condenados em 2016 pelos crimes de tortura seguida de morte, ocultação de cadáver e fraude processual e, durante o processo, concluiu-se que os crimes ocorreram dentro da UPP da comunidade da Rocinha, no Rio de Janeiro (RJ). O major Edson Raimundo está em liberdade condicional desde 2019.

A juíza Daniela Alvarez Prado, da 35ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, atestou na sentença que Amarildo foi “vítima de uma cadeia de enganos, era vulnerável à ação policial, além de ser ‘negro e pobre, dentro de uma comunidade à margem da sociedade’”.

Dos policiais condenados, o major Edson Raimundo foi quem teve a maior pena. Como asseverou a magistrada, isso se deu “por ser um superior que deveria dar exemplo aos subordinados”.

- Publicidade -

No entanto, apesar de condenado e afastado da polícia, o major Edson recebeu mais de R$ 23,000.00 (vinte e três mil reais) de salário e 13º, conforme consta no Portal da Transparência do Rio de Janeiro.

No dia 29 de janeiro de 2021 a decisão de reintegração do major foi publicada no Diário Oficial do Rio de Janeiro, tendo sido reinserido aos quadros dos oficiais da polícia militar pelo coronel Rogério Figueredo de Lacerda.

Leia mais:

Criminalistas saem em defesa do Júri, após declarações de Dias Toffoli


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

- Publicidade -

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais