Noticias

“Quem mandou matar Marielle foi um membro do Tribunal de Contas”, diz famoso advogado criminalista

Investigação aponta ligação de membro do Tribunal de Contas do Rio no assassinato de Marielle Franco

Uma nova luz parece ter sido lançada sobre o caso do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, ocorrido em 2018. Nesta quinta-feira (27), o advogado criminalista e doutor em ciência política, Fernando Augusto Fernandes, afirmou ter ouvido de uma fonte ligada às investigações criminais que um membro do Tribunal de Contas do Rio poderia estar ligado ao assassinato.

Essa declaração, fornecida durante uma entrevista ao Fórum Café, tem o potencial de reconectar a investigação, trazendo uma nova perspectiva para o caso que tem sido foco de bastante controvérsia e especulação. A fonte que forneceu essa informação a Fernandes é descrita como bem conectada ao “submundo” das investigações criminais.

Leia mais:

Escândalo! Justiça anula esmagadora maioria das prisões na cracolândia durante período polêmico em 2022

Poderia Domingos Inácio Brazão, membro do Tribunal de Contas, estar envolvido no crime?

Uma reportagem publicada na quarta-feira (26) pelo site The Intercept mencionou o nome de Domingos Inácio Brazão como um dos possíveis mandantes do atentado. De acordo com a investigação conjunta da Polícia Federal e o Ministério Público do Rio, Domingos Brazão pode ter tido um motivo para assassinar a vereadora. Conhecido por ter uma longa carreira na política e uma série de problemas jurídicos no passado, Brazão é atualmente membro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro.

O que sabemos até agora sobre o envolvimento de Brazão na morte de Marielle?

Segundo as informações trazidas à tona, Brazão pode ter ordenado o assassinato de Franco como uma forma de vingança contra Marcelo Freixo, um conhecido adversário político. Freixo, que presidiu a CPI das Milícias na Alerj e ofereceu assistência aos procuradores da Lava Jato do Rio em denúncias contra políticos do MDB, como Brazão, pode ter sido o verdadeiro alvo desse crime.

A ligação de Brazão com a milícia do Rio, especificamente a que opera em Rio das Pedras, é outro indicativo de seu potencial envolvimento. Este território é conhecido por ser a base política do clã Brazão, tendo fornecido ao político uma quantidade significativa de votos em eleições anteriores.

Existe algum vínculo entre Brazão e a família Bolsonaro?

Segundo informações, tanto o clã Brazão quanto o clã Bolsonaro têm uma forte presença política em Rio das Pedras. O filho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, também recebeu uma quantidade expressiva de votos na região em 2018, indicando que ambos os clãs têm influência na área.

Com novas informações vindo à tona, cabe agora à justiça esclarecer o caso e identificar os verdadeiros culpados pelo assassinato de Marielle Franco e Anderson Gomes. As recentes revelações já fornecem um novo rumo para as investigações e espera-se que isso ajude a resolver o caso de uma vez por todas.

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo