Noticias

Caso Marcelo Borelli: conheça a história do assaltante que chocou o país ao torturar criança de 3 anos

As consequências do crime para Marcelo Borelli e sua execração na mídia: Veja a história

No começo da década de 2000, um caso de violência contra crianças chocou o Brasil e foi amplamente divulgado pelo programa televisivo “Programa do Ratinho”, exibido pelo SBT. O criminoso central da matéria foi Marcelo Borelli, um sequestrador e ladrão já conhecido pelas autoridades. Sua cruel trajetória foi ressaltada e dramatizada para toda a nação ver, provocando tanto a revolta popular quanto a rejeição da comunidade criminosa.

Marcelo Borelli não era um criminoso comum, mas sim um verdadeiro pesadelo para a segurança do país. No início de 2000, ele foi o líder de um sequestro meticuloso de um voo comercial da extinta VASP. Além disso, Borelli ainda foi responsável por um audacioso roubo de 60kg de ouro no Aeroporto de Brasília.

Marcelo Borelli
Imagem: reprodução/ Gazeta SP

LEIA MAIS:

Armas desviadas do Exército podem derrubar aeronaves e desestabilizar a segurança pública do país

8 de janeiro: mais seis réus são condenados pelo STF

O crime de Marcelo Borelli que gerou repercussão

Porém, a verdadeira polêmica surgiu quando veio à tona o fato de Borelli ter produzido uma fita onde torturava uma criança de 3 anos, filha de um ex-cúmplice que ameaçava entregá-lo à polícia. O ‘Programa do Ratinho’ decidiu exibir trechos dessas imagens aterrorizantes, causando indignação em toda a sociedade.

Qual foi a reação do público e dos detentos?

Ratinho, o apresentador do programa, decidiu levar a fita para detentos de um centro de detenção paulista e registrar a reação deles à brutalidade de Borelli. A reação foi de revolta generalizada e promessas de linchamento, tortura e mutilação caso Borelli fosse transferido para o mesmo presídio. Ele já estava preso por porte ilegal de armas e associação criminosa e ainda estava sendo investigado pela conexão com outros crimes.

A sentença e os anos finais de Borelli

Finalmente, em 26 de julho de 2001, a sentença foi entregue. Borelli foi condenado a 172 anos de prisão pelos atos brutais contra a criança. Os abusos foram tantos que foram classificados como 21 atos no processo, incluindo chutes, choques elétricos em banheira e pisões na barriga da pequena vítima.

Como havia sido previsto, tão logo foi encarcerado, Borelli começou a sofrer uma série de agressões pelos demais detentos. Segundo relatos, Borelli foi espancado por 28 detentos, entre eles Fernandinho Beira-Mar, uma das maiores figuras do tráfico nacional.

Após muitos episódios de violências e abusos que sofrera, Borelli contraiu AIDS. Em dezembro de 2006, veio a público que ele recusou o tratamento contra o vírus. No mês seguinte, ele foi encontrado morto em sua cela, aos 38 anos de idade.

Marcelo Borelli
Imagem: reprodução / divulgação SBT

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo