Noticias

MC Pipokinha vence briga contra o Facebook, mas enfrenta cancelamentos e processos

MC Pipokinha, cujo nome real é Doroth Helena, teve sua conta no Instagram excluída em 2022, após acusação de violação das diretrizes da comunidade com conteúdo sexual. A artista processou a rede social, alegando que a medida foi tomada de forma autoritária e sem fundamento. Com 510 mil seguidores no Instagram, Pipokinha não teve chance de se defender.

Juiz Vitor Pereira defende MC Pipokinha e condena Facebook em ação movida pela funkeira

O Facebook argumentou que a funkeira divulgou material sexualmente sugestivo na plataforma, incluindo fotos e linguagem explícita. A empresa afirmou que ela estava ciente das regras do serviço e que algumas pessoas da comunidade global poderiam ser sensíveis a esse tipo de conteúdo.

No entanto, o juiz Vitor Pereira não aceitou as justificativas do Facebook, destacando que a empresa não detalhou quais denúncias motivaram a suspensão da conta nem quais publicações foram consideradas ofensivas. Ele observou que MC Pipokinha utiliza a sensualidade para impulsionar sua carreira e que isso não é suficiente para concluir que ela violou as diretrizes da comunidade.

Cancelamentos de shows

Recentemente, Pipokinha enfrentou o cancelamento de shows devido a polêmicas, como ataques aos professores e deboche sobre os salários da categoria. Após os cancelamentos, a artista divulgou uma nota, afirmando ter sido interpretada erroneamente e ressaltando a importância dos profissionais da educação.

Cancelamentos na internet

Além dos cancelamentos dos shows, MC Pipokinha também enfrentou uma onda de cancelamento por parte dos internautas nas redes sociais.

No Twitter, Facebook e TikTok, muitos usuários expressaram seu descontentamento com as atitudes da artista, compartilhando críticas e comentários negativos. As manifestações online aumentaram a pressão sobre Pipokinha e contribuíram para a repercussão das polêmicas envolvendo a funkeira.

Envolvimento com suposta prática de zoofilia e processo

As polêmicas envolvendo MC Pipokinha parecem não ter fim! Além do sexo explícito no palco e dos comentários desrespeitosos sobre professores, a funkeira agora está sendo investigada por suposta prática de zoofilia. A controvérsia começou quando ela compartilhou um vídeo na plataforma de conteúdo adulto OnlyFans, onde aparecia de lingerie enquanto um gato lambia seu mamilo. A situação gerou indignação e levou a denúncias de zoofilia, crime que envolve atração ou envolvimento sexual entre seres humanos e animais.

O Delegado da Polícia Civil do Paraná e Deputado Federal, Matheus Laiola, foi uma das vozes que se levantaram contra MC Pipokinha. Em suas redes sociais, ele afirmou que a funkeira cometeu um crime de maus-tratos e pediu investigação e prisão preventiva à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal.

Não podemos normalizar a zoofilia, um ato repugnante! Pipokinha cometeu um crime e deverá responder por ele. Vamos agir! Tolerância zero para praticantes de zoofilia“, declarou Matheus Laiola.

A Procuradoria-Geral da República confirmou o recebimento da denúncia contra Pipokinha e afirmou que o caso será analisado.

Enquanto isso, a plataforma OnlyFans se posicionou, em comunicado, dizendo que qualquer conteúdo explícito envolvendo animais é contrário à sua política de uso aceitável e não é permitido. Segundo a plataforma, “qualquer criador que compartilhe esse tipo de material será banido imediatamente”.

Diante das novas acusações, resta saber qual será o desfecho desta situação e como isso afetará a carreira de MC Pipokinha.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo