• 30 de setembro de 2020

Você já se imaginou no meio de um furacão?

 Você já se imaginou no meio de um furacão?

Você já se imaginou no meio de um furacão?

Essa, na minha opinião, seria a melhor analogia para o momento.

Estamos cercados por ventos fortes vindo de todas as direções; uma lenta recuperação de uma crise passada, no meio de uma crise epidêmica sem precedentes e na eminência de uma nova crise econômica; no meio de tudo isso estamos nós, sendo atingidos por destroços e sendo empurrados para cair nas fortes correntes de ar. Parece uma situação sem saída. É um verdadeiro desafio manter contratos de honorários durante essa crise.

Lembro-me da cena de um filme em que um dos personagens fica justamente no olho do furacão e, apesar de todo terror que o momento gerava, o personagem olhou para cima e viu o céu limpo, a luz do sol e a calmaria justamente no local mais improvável. Existe uma máxima dita pelos otimistas que mesmo as piores situações podem trazer lições e oportunidades.

Não quero ser simplista apresentando pensamentos otimistas. Muito pelo contrário: quero trazer um pensamento realista com fundamentos firmes na experiência. Não se trata de pregar uma fórmula mágica que solucionará todos os seus problemas, pois, nesse momento, não existe nada fácil. Na verdade, nada que vale realmente a pena é fácil. 

É possível em meio a esta crise encontrar o céu limpo. A calmaria já seria muita pretensão, mas as crises sempre trazem oportunidades para aqueles que estão dispostos a se reinventar, a saírem da caixa e enxergar a luz do sol mesmo em meio à tempestade. Basta fazer uma breve pesquisa e encontraremos advogados e escritórios de advocacia conseguindo superar essa crise sem grandes percalços.

Fica a pergunta: como?

No início do isolamento social desencadeou-se uma onda de lives, uma distribuição em massa de conhecimento, entretenimento, apoio psicológico e espiritual. A pandemia tornou ainda mais evidente o que já se fala há muito tempo: “as redes sociais são o caminho para construção de autoridade”. E isso é uma maneira de dizer que você pode se mostrar para o mundo e aumentar consideravelmente o alcance da sua mensagem. Nesse primeiro momento é o caminho óbvio, o meio mais eficaz de aparecer para seus clientes e para novos clientes que estão em isolamento.

Muitos profissionais já vêm ao longo dos anos usando essa estratégia e alcançando êxito, utilizando os meios digitais com uma grande vitrine, se posicionando como uma empresa no mundo digital e entregando aos seus possíveis clientes um remédio para dores cotidianas, se fazendo conhecidos por meio de uma especialidade e enxergando nas crises as janelas de oportunidades.

Embora o caminho seja óbvio, a construção de autoridade por meios das redes sociais não é uma tarefa simples. Chamar a atenção do seu público-alvo requer um conhecimento que não vemos em nossos cursos de direito, requer técnicas que, mesmo as conhecendo, precisam passar pelo crivo da experiência, não uma caminho simples, mas é um caminho possível.

Por isso, esse é o momento perfeito pra absorver esse conhecimento e colocá-lo em pratica, profissionais do direito distribuem uma boa parcela desse conteúdo gratuitamente, em quantidade e qualidade suficiente para darmos o pontapé inicial na construção da nossa imagem nas redes sociais, profissionais das mais variadas áreas utilizam as mesmas técnicas direcionadas para o seu público e deles podemos aprender e executar. Como diz o famoso escritor Napoleon Hill,

o sucesso deixa rastros. 

Muito mais que uma oportunidade de garantir seus contratos e honorários, temos a oportunidade de qualificar nossos clientes, buscar fechamento de contratos com clientes que prezam pelas qualidades técnicas do profissional, que estão interessados em profissionais com conhecimento para apresentar uma possível solução independente do valor dos honorários. Essa é uma oportunidade para cruzarmos a linha do advogado mediano que não só em momentos de crise, mas durante grande parte da sua vida profissional está sempre fechando pequenos contratos.

Responda-me rapidamente: qual profissional você cogitaria contratar caso sua liberdade estivesse em jogo? Um profissional de quem você nunca ouviu falar ou um profissional que em algum momento já demostrou seu conhecimento? Repartir o conhecimento desperta nas pessoas sentimentos inconscientes, que se trabalhados da maneira correta fara a pessoa reagir instintivamente. Isso mesmo, por instinto.

Isso é conhecido como gatilho mental, apenas pelo fato de compartilhar o seu conhecimento você pode atingir dois gatilhos, autoridade e a reciprocidade. Você demostra o domínio sobre o assunto e o espectador te enxerga como autoridade e se você conseguir sanar uma dor desse espectador ele se verá em dívida com você.

Amigo(a): se sua preocupação é manter o fluxo de honorários em meio a esta crise, sua principal ferramenta são as redes sociais. Explore o potencial das redes para sua área de atuação, para realização de parceiras, para que seus atuais clientes vejam o quanto você sabe, para que novos clientes te conheçam, para ampliar seus horizontes, para encontrar novas oportunidades e principalmente para superar essa crise saindo dela mais forte e mais capaz.


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Então, siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

Clebson Victor