NoticiasDireito Penal

Menina de 6 anos grava o próprio estupro, publica no WhatsApp, e tio-avô é preso no Piauí

Um homem foi preso em flagrante, na tarde do último domingo, em Campo Maior, norte do Piauí, acusado de abusar sexualmente de uma menina de 6 anos. 

Segundo a Polícia Militar, a prisão ocorreu após a criança ter filmado o próprio estupro com um celular. O suspeito do crime é tio-avô da vítima.

Menina grava abuso sexual sofrido pelo tio-avô, posta no Whatsapp acidentalmente e sujeito é preso 

Conforme o tenente-coronel Etevaldo Alves, comandante do 15° Batalhão da PM, a mãe da vítima viu o vídeo, registrou um boletim de ocorrência e acionou a polícia.

“O homem, que é de Teresina, estava hospedado há alguns dias na casa da família. Quando chegamos à residência, ele ainda estava lá e já tinha preparado a mala para ir embora”

A mãe relata que a criança teria feito uma publicação por engano no Whatsapp.

Ela contou que a criança usava o celular para jogar e ver vídeos, mas acabou publicando a imagem do abuso cometido pelo homem no WhatsApp.

A Polícia Militar relatou que o sujeito negou o cometimento do crime, em um primeiro momento.

“No primeiro momento ele negou, disse que não tinha nada a ver, mas o vídeo comprovou. Ele foi autuado, passou por audiência de custódia na segunda-feira e foi encaminhado para o presídio da cidade”

Segundo a Polícia Civil do Piauí, ele passou por uma audiência de custódia e a prisão em flagrante dele foi convertida em preventiva.

Atualmente, ele está à disposição da Justiça na Penitenciária Regional José de Arimateia Barbosa Leite.

O suspeito não teve a identidade revelada para preservar a vítima menor.

Fonte: UOL

Daniele Kopp

Daniele Kopp é formada em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) e Pós-graduada em Direito e Processo Penal pela mesma Universidade. Seu interesse e gosto pelo Direito Criminal vem desde o ingresso no curso de Direito. Por essa razão se especializou na área, através da Pós-Graduação e pesquisas na área das condenações pela Corte Interamericana de Direitos Humanos ao Sistema Carcerário Brasileiro, frente aos Direitos Humanos dos condenados. Atua como servidora na Defensoria Pública do RS.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo