• 15 de dezembro de 2019

O mercado de trabalho do profiler

 O mercado de trabalho do profiler

O mercado de trabalho do Profiler

A área do Criminal Profiling ainda está em fase inicial no Brasil e no mundo. Ainda não existe uma profissão específica para aquele que vai atuar como profiler, que, em tradução livre, é o perfilador, ou seja, quem elabora perfis.

A partir dessas informações, é possível afirmar que o campo ainda é pouco aproveitado no meio, e muitas pessoas simplesmente não entendem exatamente qual é o trabalho elaborado por esse profissional e onde ele pode atuar. Assim, surge a necessidade de demonstrar qual é o mercado de trabalho e as possibilidades que essa área do conhecimento pode proporcionar a quem se especializa.

Primeiramente, o trabalho mais conhecido de um profiler é o de assessoria ou consultoria para a polícia civil, podendo auxiliar em investigações por meio de um perfil criminal, principalmente nos casos de crimes violentos com poucos vestígios e aclamados pela mídia em que o perfil é muito útil para conseguir avançar nas investigações e dar uma resposta para a população.

Contudo, existem também outros aspectos da investigação que podem receber assistência aplicando padrões de comportamento, como a vitimologia, por exemplo. Além disso, a especialização em Criminal Profiling abrange esferas adicionais como técnicas de entrevista e negociação de crise, ambas úteis para o andamento e resolução de investigações criminais.

Ainda sobre assessoria e consultoria, também é possível fazer esse trabalho no mundo do entretenimento colaborando com escritores e roteiristas em suas obras, seja em relação ao tema especificamente e os meios de investigação, seja para criar personagens e demonstrar determinados perfis, tendo em vista o aumento do interesse da população pelo Profiling e por histórias de criminosos violentos.

Querendo o profissional trabalhar mais ativamente no âmbito investigativo, pode também fazer concurso para cargos como de Perito Criminal, Investigador ou até mesmo Delegado, podendo aproveitar o conhecimento para colocar em prática algo tão pouco aproveitado no país.

Outra área que também abrange o universo jurídico é o trabalho de assistente técnico no âmbito judicial, podendo elaborar pareceres tanto para a acusação como para a defesa em temas civis e criminais. Mesmo sendo um tema controverso e muito pouco aproveitado como meio de prova ou de refutação de prova, não deixa de ser um meio de trabalho viável.

Existe também o meio acadêmico, que é comum às especializações, então o profiler pode dar aulas em instituições de ensino, empresas e ambientes investigativos como as Academias de Polícia e também pode efetuar pesquisas acadêmicas para desenvolvimento de artigos ou também para fazer mestrado e doutorado.

Inclusive, elaborar pesquisas acadêmicas é muito relevante para a área, sobretudo por ser um assunto pouco estudado no Brasil e que necessita de apoio científico localizado já que a maioria dos estudos existentes foram elaborados por outros países que possuem aspectos ambientais diferentes.

Há também a possibilidade de trabalhar no setor privado por meio de investigação particular, mas também em seguradoras e empresas de segurança analisando perfis e procurando evitar a ocorrência de crimes, como o de fraude. Em outras empresas, também é possível analisar possíveis casos de espionagem ou até mesmo o comportamento de indivíduos a serem contratados.

E ainda, por meio da tecnologia, é possível auxiliar no desenvolvimento de softwares que facilitem o trabalho do profiler, como no caso de produzir um perfil geográfico ou até um retrato falado.

Por fim, todas as áreas de atuação investigativa e relacionadas ao Direito, à Psicologia e à Psiquiatria podem aproveitar os conhecimentos assimilados pela especialização para colaborar com seu trabalho como funcionários do Ministério Público, psicólogos jurídicos e legistas, por exemplo.

Atualmente já existem profissionais especializados que utilizam seus conhecimentos em seus trabalhos e que já ajudaram a resolver casos, como investigadores, psicólogos, peritos e até fonoaudiólogos, pessoas que, seja no meio acadêmico, no setor público ou no setor privado, tentam explorar o Criminal Profiling e disseminar a importância da aplicação desse conhecimento no caso concreto, mesmo ainda encontrando resistência.

O mais importante sobre isso é que existem várias possibilidades que podem ser aproveitadas juntamente a outras áreas do conhecimento e que vale a pena trabalhar com isso, mesmo encontrando dificuldades no caminho.

Não existe um limite para o que pode ser aproveitado e tudo vai depender da abertura e da criatividade do profissional disposto a atuar para o seu aperfeiçoamento e evolução do seu ambiente de trabalho, tendo em vista que possui um conhecimento diferenciado e relevante.

Verônyca Veras

Especialista em Criminal Profiling. Advogada.