Advocacia CriminalArtigos

A nobre missão do advogado criminalista

nobre missão

A nobre missão do advogado criminalista

O Direito Criminal (ainda) é uma das áreas mais sensíveis para a atuação do advogado. Isso porque esse ramo do Direito apresenta inúmeros desafios e preconceitos, que somente podem ser superados por um profissional que esteja disposto a encará-los.

Um dos grandes desafios que ainda enfrentamos é a falta de conhecimento da sociedade para com o Direito Criminal, já que a maioria recebe as informações sobre o ramo através da imprensa, que, não raras vezes, apresenta o advogado criminal como uma barreira para a aplicação da pena ao acusado, um cúmplice, e não como um defensor dos direitos e garantias individuais constitucionalmente expressos.

A verdade é que qualquer pessoa está sujeita de ser acusada de ter cometido um crime, e por isso merece defesa, independentemente do crime que lhe foi atribuído. A defesa feita pelo advogado criminalista consiste em garantir um julgamento justo a quem quer que seja, mesmo que o individuo possa ser culpado, que, nesse caso, se condenado, sofrerá uma pena justa no limite de sua culpa.

O advogado criminalista, ainda que tenha sua atuação recriminada pela sociedade, é um idealista! O profissional atuante no ramo do Direito Penal sempre busca garantir que seu cliente tenha um julgamento com a fiel observância das garantias e dos princípios constitucionais, garantindo-lhe a ampla defesa e o contraditório.

Esta é a nobre missão do advogado criminalista: garantir que todos os direitos daquele apontado como o autor de um crime, independentemente de classe social, tenha seus direitos e garantias individuais constitucionais respeitados, observando ao máximo a vida, a liberdade e a integridade física de seu cliente.

Afinal, não há justiça sem uma defesa realizada por um advogado(a)!


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

Autor

Bacharel em Direito pela Univem – Marilia/SP, Advogada e Pós Graduanda em Direito Penal e Processo Penal Aplicados – EBRADI.
Continue lendo
ArtigosTribunal Criminal

Nós, os jovens tribunos, vistos por eles, os jurados

ArtigosDireito Penal

Direito Penal não se aprende nos telejornais, muito menos com os "formadores de opinião" da Internet

Artigos

(In)aplicação da reincidência na substituição de PPL por PRD

ArtigosProcesso Penal

Ainda sobre a prisão após condenação em segunda instância

Receba novidades em seu e-mail