Noticias

‘O Monstro dos Andes’: conheça a história do serial killer colombiano conhecido por matar centenas de jovens

O passado sombrio de Pedro López, monstro dos Andes

A vida humana vale mais do que o ouro, mas em alguns casos, parece ter menos valor do que o pó. Este é o caso de Pedro Alonso López, um dos mais notórios assassinos em série do século XX. Nascido na sombria cidade de Santa Isabel, na Colômbia, López ganhou o apelido de “Monstro dos Andes” por seus terríveis crimes contra mais de 300 crianças em três países diferentes.

Como filho de Benilda López De Castaneda, uma renomada prostituta da região, a infância de Pedro Alonso foi marcada de sombras. Após seu pai ser brutalmente assassinado e a manifestação precoce de tendências pervertidas, Pedro encontrou-se preso em um ciclo de violência e exploração que culminou em uma carreira criminosa escabrosa.

Pedro Alonso Lopez
Imagem: aventurasnahistoria

LEIA MAIS:

Comandante da Marinha teria concordado com golpe proposto por Bolsonaro, diz Mauro Cid

PF desbarata mega esquema de contrabando de ouro para EUA e Europa com bloqueio de bilhões

O trajeto do monstro dos Andes para a vida de crimes

Com apenas oito anos de idade, monstro dos Andes foi expulso de casa por abusar de uma das suas jovens irmãs. De casa, foi para o lar de um pedófilo que o submeteu a abusos e, posteriormente, encontrou refúgio nas ruas, cometendo furtos menores para sobreviver. Mas seu destino sombrio realmente começou após seu encarceramento aos 18 anos.

Consequências da vida prisional

Em sua curta estadia na prisão, monstro dos Andes sofreu brutalidades que culminaram em uma trama de vingança onde ele esfaqueou até a morte quatro dos seus agressores. Após sua soltura, com 20 anos, e possuído de uma obsessão por novas vítimas, López direcionou a sua atenção para meninas entre as idades de 8 a 13 anos.

Monstro dos Andes
'O Monstro dos Andes': conheça a história do serial killer colombiano conhecido por matar centenas de jovens 3

A sangrenta trilha deixada por Pedro López

Entre 1978 e 1980, López percorreu três países – Peru, Colômbia e Equador – deixando uma trilha de morte, principalmente de meninas indefesas. Em seu depoimento, ele declarou que matou cerca de 100 garotas no Peru, 110 na Colômbia e 110 no Equador. Seu método era o mesmo – sedução, seguido de abuso sexual, estrangulamento e em alguns casos, cortes nos pulsos.

O psicopata não mostra qualquer arrependimento por suas atrocidades, acreditando erroneamente que estava “salvando” as vítimas do futuro de pobreza e perda de sua pureza. Os crimes hediondos de Pedro Alonso López chocaram a opinião pública e demonstraram o pior da natureza humana, fazendo desse homem um dos mais perigosos assassinos em série que o mundo já conheceu.

P>Atualmente, com quase 80 anos, o paradeiro de López é desconhecido. Após ser solto em 1998 e se recusar a receber tratamento psiquiátrico, ele desapareceu sem deixar vestígios. O legado negro de Pedro Alonso López continua a povoar o imaginário popular e a inspirar estudos criminológicos sobre a psique de assassinos em série.

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo