Noticias

Operação Ágata causa prejuízo de R$ 51 milhões ao crime organizado nas fronteiras do MS

Ação militar nas fronteiras de Mato Grosso do Sul causa um prejuízo de R$ 51 milhões ao crime organizado

A Operação Ágata Fronteira Oeste II, conduzida pelo Centro de Comando Militar do Oeste (CMO), já ultrapassou 100 dias de ação nas fronteiras de Mato Grosso do Sul e partes de Mato Grosso. Nesta quinta-feira, 22 de fevereiro, o CMO anunciou que as operações causaram um prejuízo de R$ 51 milhões ao crime organizado nessas áreas.

As ações foram realizadas em Bela Vista, Ponta Porã e Amambai, contando com a participação de dois mil militares. O General André Luís Novaes Miranda, comandante de operações terrestres, afirmou que as ações tiveram início em novembro de 2023 e devem continuar até maio deste ano, com possibilidade de prorrogação do prazo.

operação
Foto: Henrique Kawaminami

Leia mais:

Daniel Alves condenado por agressão sexual: Apoio de Neymar, detalhes do julgamento e mais

Pais de influenciadora do ‘Jogo do Tigre’ e advogados são presos

Operação Ágata: Enfrentamento ao crime organizado

“Eles percorreram do norte do Mato Grosso ao sul do Mato Grosso do sul, todas as áreas de fronteira para coibir os crimes traficados nesses locais”, ressaltou o General Novaes Miranda.

No balanço parcial, a operação contabiliza a apreensão de cocaína, pasta base, 112,45 kg, cigarros contrabandeados, 184,135 pacotes e quase 10 mil kg de maconha. Em Corumbá, um homem foi preso por transportar 163 kg de cocaína. Além disso, foram realizadas 735 fiscalizações em pontos fixos e encontradas 7 armas.

O papel do Sisfron na Operação Ágata

O Tenente coronel Pahins Barros, subchefe do 6º centro de telemática diária, acrescentou que o monitoramento das ações é acompanhado em tempo real pelo Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (Sisfron).

“Torres de transmissão que estão instaladas na parte de fronteira, permitem a comunicação de quem está na ponta da linha, assim nós temos radares instalados ao longo de toda essa faixa. Temos comunicações táticas que são utilizadas pelas tropas e essa estrutura contribui para que as informações sejam trafegadas entre os comandos, nos diversos níveis e os comandantes possam tomar as melhores decisões”, explicou Barros.

A Operação Ágata Fronteira Oeste II tem sido fundamental no combate ao crime organizado nas fronteiras de Mato Grosso o Sul e Mato Grosso, trazendo resultados significativos na apreensão de drogas e contrabando e na prisão de criminosos.

Fonte: Campo Grande News

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo