• 20 de setembro de 2020

Resultados para: tratamento médico

Mestre em Ciências Criminais. Professora. Defensora Pública.

A importância do Protocolo de Istambul para as audiências de custódia

A coluna dessa semana será prática e complementar a outra coluna que trabalhou o enfrentamento de uma grande e assente problemática que encontramos nas audiências de custódia, que é a violência policial. Conforme já havia referido, naquela oportunidade, esse enfrentamento, sem dúvida nenhuma, exige um olhar muito mais abrangente por parte dos atores atuantes nesses atos, […]Leia Mais

Falência da prisão e a necessidade de estímulo às penas alternativas

Vários países já descartaram as longas penas privativas de liberdade, ao perceberem que as prisões são fatores criminógenos de alto poder, pois causam, irremediavelmente, a desintegração social e psíquica do indivíduo e também de seu círculo familiar. De outro lado, as penas curtas tampouco conseguem prevenir a reincidência, e muito menos readaptar o delinquente. A […]Leia Mais

Afinal, por que o homem furta, rouba, agride e mata?

O homem é um animal, como outro qualquer, sujeito às mesmas leis que regem todos os seres vivos, no destino da sobrevivência e a perpetuação da espécie. Leis biológicas, referente à vida; leis mesológicas, referente ao meio ambiente; leis sociológicas, convivência social. O homem está em permanente luta com o meio ambiente e com os […]Leia Mais

Richard Chase, o vampiro de Sacramento

"O banheiro estava todo ensanguentado, mas sem corpos. Depois constatou-se que Chase transportava o sangue de suas presas para o banheiro e, no local, deleitava-se bebendo sangue. O filho de Evelyn, Jason, também não teve a mesma sorte..."Leia Mais

Teses sobre homicídio (parte 12)

"Se a equipe, comandada por aquele médico experiente, trabalhador, inteligente e consciente de suas escolhas e atitudes, resolve internar o jovem baleado no leito do idoso moribundo, 'desligando aparelhos'... (e este morre!)... terá/terão cometido homicídio?"Leia Mais

Genene Jones, a enfermeira diabólica

"Entre maio e dezembro de 1981, dez crianças da UTI morreram de forma 'inexplicável'. Segundo os arquivos do hospital, em todos os casos a enfermeira Jones estava presente ao lado da cama durante 'os últimos eventos com vida”..."Leia Mais