- Publicidade -

Para delegada do caso Flordelis, pastor assassinado “se achava inatingível”

- Publicidade -

Para delegada do caso Flordelis, pastor assassinado “se achava inatingível”

- Publicidade -

A delegada Bárbara Lomba, Autoridade Policial responsável pelo início das investigações, foi uma das testemunhas ouvidas na primeira audiência do processo que apura o homicídio do pastor Anderson do Carmo, tendo como mandante a parlamentar Flordelis.

Ao se referir sobre a vítima, mencionou que “ele se achava inatingível”, e que “o mandato [de Flordelis] foi um divisor de águas para determinar que ele tinha que morrer mesmo. A autoconfiança dele era tão grande que ele não acreditava (do plano para matá-lo)”.

Disse, ainda, que “A motivação foi financeira. Com relação a forma como pastor geria a casa. Pela forma diferenciada que tratava os filhos (…) Ela (Flordelis) foi responsável por arquitetar o plano e convencer as pessoas pra que o crime fosse cometido”.

- Publicidade -

Leia também:

- Publicidade -

Ministro Marco Aurélio vota para soltar André do Rap


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Então, siga-nos no Facebook e no Instagram.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais