• 27 de novembro de 2020

Para delegada do caso Flordelis, pastor assassinado “se achava inatingível”

 Para delegada do caso Flordelis, pastor assassinado “se achava inatingível”

Para delegada do caso Flordelis, pastor assassinado “se achava inatingível”

A delegada Bárbara Lomba, Autoridade Policial responsável pelo início das investigações, foi uma das testemunhas ouvidas na primeira audiência do processo que apura o homicídio do pastor Anderson do Carmo, tendo como mandante a parlamentar Flordelis.

Ao se referir sobre a vítima, mencionou que “ele se achava inatingível”, e que “o mandato [de Flordelis] foi um divisor de águas para determinar que ele tinha que morrer mesmo. A autoconfiança dele era tão grande que ele não acreditava (do plano para matá-lo)”.

Disse, ainda, que “A motivação foi financeira. Com relação a forma como pastor geria a casa. Pela forma diferenciada que tratava os filhos (…) Ela (Flordelis) foi responsável por arquitetar o plano e convencer as pessoas pra que o crime fosse cometido”.

Leia também:

Ministro Marco Aurélio vota para soltar André do Rap


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Então, siga-nos no Facebook e no Instagram.

Pedro Ganem (Redação)