- Publicidade -

Perícia afirma que ossada encontrada não é dos meninos desaparecidos

- Publicidade -

Uma perícia realizada pela Polícia Civil do Rio de Janeiro (PCERJ) concluiu que a ossada encontrada próxima a uma ponte em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, não é de nenhum dos três meninos – Lucas, Alexandre e Fernando – que desapareceram no final de dezembro de 2020.

- Publicidade -

A ossada foi periciada, após um homem se apresentar à polícia no fim de julho e acusar o próprio irmão de ter participado da ocultação dos corpos.

Segundo a perícia da PCERJ os ossos seriam de origem animal. No laudo pericial consta que os ossos são de “vértebras caudais de animais e não de falanges humanas”.

Não obstante, a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense foi orientada a continuar as buscas.

- Publicidade -

Os três menores, de 9, 11 e 12 anos, sumiram no dia 27 de dezembro depois que saíram para brincar. Desde então, a polícia trabalha com diversas linhas de investigação, inclusive a de que os meninos tenham sido vítimas de traficantes da região.

Outra hipótese seria a de que as crianças teriam sido mortas após um deles ter roubado uma gaiola de passarinho de um parente de um dos traficantes de onde moram.

O envolvimento de milicianos locais também é considerado pela polícia.

Muitas operações e buscas já foram realizadas até o momento, em diversos lugares onde supostamente os meninos teriam sido vistos, mas nada levou ao paradeiro dele.

Leia também

- Publicidade -

Adélio Bispo tem transferência de penitenciária federal negada

Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais

Prima de Daniella Perez encontra Paula Thomaz em shopping Raul Gazolla manda recado para marido de Paula Tomaz Bolsonaro e Michelle visitam igreja em que Guilherme de Pádua é pastor Esposa de Guilherme de Pádua comenta sobre série da HBO Max O atirador de Realengo